PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

EUA pedem que americanos não viajem ao Japão a 2 meses da Olimpíada

Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

24/05/2021 15h07

O Departamento de Estado dos Estados Unidos pediu hoje (24) que norte-americanos não viajem ao Japão, país que daqui a dois meses estará recebendo os Jogos Olímpicos. O país anfitrião tem recebido eventos-teste que valem também como Pré-Olímpico, como foi o caso da Copa do Mundo de Saltos Ornamentais.

O governo norte-americano tem um sistema de recomendações de viagem em que aponta o nível de segurança de se viajar para cada país do globo. Hoje o Japão foi rebaixado para o nível 4, "não viajar". Esse é o mesmo nível de perigo de se viajar ao Brasil, por exemplo.

Em atualização nessa lista, os Estados Unidos incluíram o seguinte alerta: "Não viaje ao Japão por causa da covid". A nova onda de infecções também rebaixou, hoje, o status de Sri Lanka.

O Japão vive uma quarta e agressiva onda de contaminação, tendo chegado a mais de 6 mil novos casos diários na semana retrasada. Na primeira onda, o país não chegou a 600 novos casos por dia e, na segunda, não passou de 1,3 mil. Desde o início da pandemia, as mortes já superam as 12 mil.

Boa parte do país está em Estado de Emergência, que, apesar do nome, não é mais rígido que as atuais restrições vigentes nas principais cidades brasileiras, por exemplo. Na semana passada, após reunião da Comissão de Coordenação, o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que a Olimpíada vai acontecer mesmo se Tóquio estiver em Estado de Emergência.

O Japão tem sofrido para conseguir avançar na vacinação de sua população. Por enquanto a vacina não chegou a nem 5% dos japoneses, pior taxa entre todos os países ricos do mundo. Ao mesmo tempo, a rejeição à Olimpíada cresce, superando 60% em todas as pesquisas recentes. Para tentar reverter essa rejeição, o COI tem batido na tecla de que a maioria dos visitantes estará vacinada. A expectativa é que mais de 80% dos moradores da Vila dos Atletas chegue ao Japão vacinada.