PUBLICIDADE
Topo

Milly Lacombe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nelson Piquet: de piloto fora-de-série a chofer de Bolsonaro

7.set.2021 -O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chega para a cerimônia de hasteamento da bandeira em Brasília, para o 7 de Setembro, em um Rolls Royce dirigido pelo ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet - FÁTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
7.set.2021 -O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chega para a cerimônia de hasteamento da bandeira em Brasília, para o 7 de Setembro, em um Rolls Royce dirigido pelo ex-piloto de Fórmula 1 Nelson Piquet Imagem: FÁTIMA MEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
só para assinantes
Milly Lacombe

Milly Lacombe, 53, é jornalista, roteirista e escritora. Cronista com coluna nas revistas Trip e Tpm, é autora de cinco livros, entre eles o romance O Ano em Que Morri em Nova York. Acredita em Proust, Machado, Eça, Clarice, Baldwin, Lorde e em longos cafés-da-manhã. Como Nelson Rodrigues acha que o sábado é uma ilusão e, como Camus, que o futebol ensina quase tudo sobre a vida.

Colunista do UOL

28/06/2022 10h20

Nelson Piquet ainda pode entrar para a história como o motorista que conduziu o presidente mais nocivo do Brasil pelas ruas de Brasília numa cerimônia de sete de setembro.

Pode também ser lembrado como o ex-piloto que se referiu ao maior da história, Lewis Hamilton, usando termos racistas.

Pode ser lembrado como um homem amargurado e recalcado que precisa tentar diminuir outros para se reafirmar.

Ou ainda como fã de presidente ligado a milícias, a misoginia e a práticas genocidas durante a administração pública de uma pandemia.

Pode ser lembrado como amigão de político que tem como ídolo um torturador e que disse que estupro é merecimento.

É esse Nelson Piquet que o mundo está descobrindo em 2022.

A gente que há alguns anos acompanha ele se derreter de amores pelo presidente mais violento da nossa história, autor de frases igualmente racistas, já sabia.