PUBLICIDADE
Topo

Milly Lacombe

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Futebol e assédio: por que esse problema é seu também

Campanha contra assédio

Milly Lacombe

Milly Lacombe, 53, é jornalista, roteirista e escritora. Cronista com coluna nas revistas Trip e Tpm, é autora de cinco livros, entre eles o romance O Ano em Que Morri em Nova York. Acredita em Proust, Machado, Eça, Clarice, Baldwin, Lorde e em longos cafés-da-manhã. Como Nelson Rodrigues acha que o sábado é uma ilusão e, como Camus, que o futebol ensina quase tudo sobre a vida.

Colunista do UOL

11/06/2021 18h44

Estamos falando muito de assédio no noticiário esportivo, e isso é triste mas, ao mesmo tempo, bom. Mais do que bom, é importante e necessário porque abordar o tema tem a capacidade de salvar vidas.

O futebol é um micro-cosmo da sociedade e mobiliza as mesmas emoções, os mesmos sentimentos, as mesmas dores, alegrias e sofrimentos. Ele fala da condição humana, do que somos capazes de fazer juntos, dentro e fora do campo. Por isso, por ser um reflexo da nossa cultura, ele comporta doses elevadas de machismo e de misoginia.

Quando o ex-presidente da CBF é acusado formalmente de assédio sexual a gente tem a chance de falar abertamente sobre o tema, até para explicar o que constitui assédio.

A campanha #ehproblemameu é uma iniciativa global e o filme abaixo ajuda homens a entenderem seu papel nessa luta. Com produção e direção de Lia Levin e de Jacobi Shar, o vídeo é contundente e comovente. Assistam. Entendam. Ajudem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL