PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gomes: Cristiano Ronaldo, melhor da Champions, empurra United às oitavas

Cristiano Ronaldo comemora gol do Manchester United contra o Villareal pela Liga dos Campeões - REUTERS/Pablo Morano
Cristiano Ronaldo comemora gol do Manchester United contra o Villareal pela Liga dos Campeões Imagem: REUTERS/Pablo Morano
Conteúdo exclusivo para assinantes
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

23/11/2021 16h56

É difícil até explicar como o Manchester United se classificou para o mata-mata da Liga dos Campeões da Europa. Mas se classificou. E com uma rodada de antecipação, em um grupo bem chatinho, com dois times sem tanta camisa, mas com bastante bola: Atalanta e Villarreal.

Perdeu do Young Boys e aí vieram os jogos em que Cristiano Ronaldo salvou a pele de todo mundo nos instantes finais - as vitórias em casa sobre Atalanta e Villarreal e o empate em Bérgamo. Nesta terça, o United foi superado pelo Villarreal em todos os aspectos do jogo. De Gea fez verdadeiros milagres que iam garantindo o 0 a 0 - um empate que era ótimo para um Manchester sem treinador e que jogaria, então, por outro empate na rodada final.

E adivinhem quem apareceu no fim? Ele, Cristiano Ronaldo, com um gol aos 33min do segundo tempo. É o filme que se repete há quase 20 anos na principal competição de clubes do mundo.

Depois, em um contra ataque com participações ótimas de Fred e CR7, Sancho, que havia jogado uma péssima partida, definiu. 2 a 0 na Espanha e classificação antecipada garantida.

O que foi o United na fase de grupos? Muito CR7, bastante De Gea, algo de sorte e uma pitada de camisa pesada. Fora isso, nada. Mas o que vem pela frente? Aí que está.

O material humano está presente. Solskjaer não era, obviamente, o único vilão. Mas já foi embora. Carrick, o interino, não é o futuro. Quem vai chegar para treinar o United? Dependendo de quem for, da química e das soluções encontradas, o time vermelho de Manchester não pode ser descartado para nada. Já vimos outros clubes serem campeões da Europa chegando desacreditados ao mata-mata e com técnico novo no meio da temporada - inclusive o último, o Chelsea.

Basta um empate em casa, contra o Young Boys, no último jogo, para o Manchester United garantir a primeira posição do grupo e estar no pote de cabeças de chave do sorteio. Para o que time jogou neste semestre, o normal era nem se classificar.

Acredito que será campeão? Não, seria insano acreditar. Mas é impossível? Claro que não. E outra: o United não precisa ser campeão para fazer estragos, pode muito bem deixar algum favorito pelo caminho nas oitavas de final. Os caras têm Cristiano Ronaldo! Eu nunca desprezarei quem tem Cristiano Ronaldo, o grande jogador da Champions 21/22 - e de tantas outras.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL