PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Primeiro tempo perfeito faz Real Madrid vencer e quebrar tabu de 13 anos

Benzema comemora 1° gol do Real Madrid no clássico contra o Barcelona - Angel Martinez/Getty Images
Benzema comemora 1° gol do Real Madrid no clássico contra o Barcelona Imagem: Angel Martinez/Getty Images
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

10/04/2021 18h00

O Real Madrid voltou a ganhar do Barcelona no Campeonato Espanhol, fazendo 2 a 1 em cima do arquirrival no estádio Alfredo di Stéfano. Os gols foram de Benzema e Kroos para o Real, com Mingueza descontando para o Barça.

É a primeira vez desde a temporada 2007/2008 que o Real vence as duas partidas de campeonato contra o Barcelona. Ao final daquela temporada, a diretoria do Barça, então comandada por Joan Laporta, que agora voltou a assumir a presidência do clube, resolveu radicalizar. Colocou no comando técnico um tal Pep Guardiola, que fazia um bom trabalho no Barcelona-B.

Naquela temporada, o Real venceu no Camp Nou por 1 a 0, em dezembro de 2007, com um gol de Júlio Baptista. No segundo turno, fez 4 a 1 no Bernabéu, com gols de Raúl, Robben, Higuaín e Van Nistelrooy - Henry descontou. Esta partida, em maio de 2008, ficou famosa pelo "corredor" feito pelos jogadores do Barça para aplaudir os do Real, que haviam conquistado o título por antecipação na rodada anterior. Ficou conhecida como o "derby del pasillo" (pasillo é corredor, em espanhol).

Outra curiosidade: naquele 4 a 1 de 2008, o Real Madrid teve mais posse de bola que o Barcelona. Depois daquele jogo, o Barça ficaria cinco anos tendo mais posse que qualquer adversário em absolutamente todas as partidas - a série foi quebrada em 2013, em um jogo contra o Rayo Vallecano.

Com a vitória deste sábado, o Real chega a 66 pontos, os mesmos do Atlético de Madrid, que neste domingo ainda joga na rodada. O Barcelona fica com 65. O detalhe é que o Real foi melhor que os dois rivais nos confrontos diretos, portanto pode ficar empatado em pontos com qualquer um deles para ser campeão.

A chave da vitória madridista foi o primeiro tempo espetacular. Zidane fez uma leitura perfeita da partida e escalou o uruguaio Valverde como titular, sacando Asensio do time. Valverde fez uma linha de cinco na defesa, fechando o espaço de Alba pelo lado esquerdo do ataque do Barcelona. Assim, os volantes conseguiram anular Messi pelo meio. Os contra ataques eram puxados por Vinícius Jr, cada vez mais confiante.

Foi Valverde, no entanto, que puxou o contra ataque que resultou no primeiro gol. Ele acelerou, abriu para Lucas Vázquez e este cruzou para um golaço de letra de Benzema. Vinícius Jr fez ótima jogada e sofreu falta na entrada da área, Kroos bateu e decretou o 2 a 0. Foi um primeiro tempo em que Zidane deu uma goleada tática em Koeman.

Além de Vini Jr, outros dois brasileiros fizeram um ótimo jogo: Casemiro e Militão, impecável nos desarmes e bloqueios. Casemiro acabaria expulso no finalzinho da partida, o que não apaga outra grande atuação.

No segundo tempo, já debaixo de chuva fortíssima, Koeman mudou o Barcelona, colocou Griezmann em campo e desfez o sistema de três zagueiros. O Barça melhorou e tomou conta da partida.

É verdade que o Real Madrid teve pelo menos duas chances claras para matar a partida no contra ataque, mas o resultado poderia ter sido de empate tranquilamente. O Barça fez um gol com Mingueza e acertou o travessão aos 49min, com Moriba. Antes disso, já nos instantes finais, Mendy segurou claramente Braithwaite na área, mas o árbitro não interpretou como pênalti.

O Espanhol está embolado. O Real Madrid ainda tem a Champions League para levar ao mesmo tempo, o Atlético de Madrid está derrapando e o Barça, de Messi, tem chances de título. Messi, por sinal, passa em branco no clássico pela sétima vez consecutiva. Se foi o último dele, é um destes para o argentino esquecer.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL