PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Barcelona 'acha' dupla Messi-Griezmann e se livra de vexame

Messi e Griezmann contra o Granada - Reprodução/Twitter
Messi e Griezmann contra o Granada Imagem: Reprodução/Twitter
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

03/02/2021 19h38

O Barcelona flertou com o desastre novamente, fez de tudo para dar um vexame. Mas conseguiu passar pelo Granada e avançar para as semifinais da Copa do Rei.

Assim, ficam vivas as chances de Messi ganhar um título no que pode ser seu último ano jogando pelo Barça. Curiosamente, justo quando esquenta a especulação de que ele iria jogar no PSG a partir da próxima temporada.

É também curioso que, afinal, Messi e Griezmann tenham se acertado e já possam até ser chamados de "dupla". Hoje, a dupla funcionou em Granada e ainda contou com um Jordi Alba decisivo no ataque.

O Barça perdia por 2 a 0 até os 43min do segundo tempo. Conseguiu fazer dois gols nos instantes finais, levar para a prorrogação e ganhar por 5 a 3. O vazamento dos valores do contrato de Messi com o clube, a possível renovação de Neymar com o PSG e as declarações dadas hoje por Di María dão a dica: Messi estaria a caminho de Paris. Pode até ser. Mas ele não parece disposto a ir embora de mãos vazias.

Messi lutou demais, mostrou raiva, deu dois passes decisivos ainda no tempo regulamentar e um na prorrogação. Griezmann fez dois gols, deu o passe para o quinto e parece cada vez mais o craque do Atlético de Madrid e da França. Eles estão se encotrando em campo.

A Copa do Rei não é a única chance de título do Barça. Mas o time está 10 pontos atrás do Atlético na Liga espanhola e está difícil imaginar que seja capaz de ser campeão europeu.

Após sufocos contra Cornellá (da terceira divisão) e Rayo Vallecano (da segunda), o Barça estava a ponto de ser eliminado pelo oitavo colocado do Espanhol, um Granada que só venceu um de seus últimos seis jogos pelo campeonato. Levou um gol no fim do primeiro tempo e um no início do segundo. Martelou, martelou e martelou em vão.

Se salvou com dois lances quase gêmeos: dois lançamentos brilhantes de Messi para Griezmann. No primeiro, o francês, quase sem ângulo, tocou para o gol e o goleiro Aaron acabou empurrando para dentro - um pecado, dado que o rapaz havia sido o grande destaque da partida. No segundo, Griezmann tocou de cabeça para a área e Alba empatou, já aos 47min.

Ainda deu tempo de Suárez, cara a cara com Ter Stegen, chutar para fora o contra ataque que daria a classificação ao Granada.

Na prorrogação, o Barcelona seguiu jogando dentro da área do rival, chegou à virada com Griezmann, mas, minutos depois, Dest cometeu um pênalti bobo. O Granada chegou, assim, aos 3 a 3. Vieram então os gols de De Jong (após passe de Messi) e Alba (passe de Griezmann) para definir a classificação catalã.

Foi a quarta prorrogação jogada pelo Barça em 20 dias (sete partidas) - duas pela Supercopa e duas pela Copa do Rei. Nas fases anteriores, o Barça havia necessitado do tempo-extra para eliminar o Cornellá, da terceira divisão. E, na semana passada, sofreu para vencer de virada o Rayo Vallecano, da segunda.

Os outros semifinalistas já definidos da Copa são o Sevilla e o Levante. Nesta quinta, se enfrentam Bétis e Athletic Bilbao. Na sexta, serão sorteados os confrontos, que serão realizados em ida e volta.

O que seria um desastre completo pode se transformar em um divisor de águas. O Barcelona acordou, mostrou sangue, vontade e capacidade técnica. Terá acordado de vez e encontrado o caminho para o resto da temporada? Saberemos em breve.

Errata: o texto foi atualizado
O pênalti foi cometido por Dest, não por Alba.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL