PUBLICIDADE
Topo

Julio Gomes

Barcelona x PSG, ou Messi x Neymar, é o duelo da ultradependência

Neymar será capaz de levar o PSG adiante na Champions? - Divulgação/PSG
Neymar será capaz de levar o PSG adiante na Champions? Imagem: Divulgação/PSG
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

14/12/2020 09h20

A Uefa definiu nesta segunda, através de sorteio, os confrontos de oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, que serão disputadas daqui a dois meses, a partir de 16 de fevereiro. Os destaques são os duelos entre Barcelona e Paris Saint-Germain e entre Atlético de Madrid e Chelsea. Já falaremos deles.

Cinco dos outros seis duelos têm favoritos claros (pelo menos no momento), o que tampouco é garantia de classificação. Estamos falando do mata-mata da principal competição interclubes do mundo e há muito equilíbrio sempre.

O Bayern de Munique, atual campeão, não deve ter problemas para passar da Lazio. Outros favoritos destacados são Juventus (contra o Porto) e Manchester City (contra o Borussia Mönchengladbach). O Liverpool, campeão de 2019, é favorito contra o RB Leipzig, mas o time alemão já chegou às semifinais da última Champions e eliminou o Manchester United na fase de grupos, é um rival perigoso. E o Real Madrid, que só garantiu vaga nas oitavas na última rodada, hoje parece muito favorito contra a Atalanta. Mas olho aberto, porque o time de Zidane adora namorar com o perigo, oscila ao longo da temporada e a equipe italiana é capaz de tudo, do melhor e do pior.

Há um confronto equilibradíssimo entre Sevilla e Borussia Dortmund, em que não dá para apontar favorito. É também o caso de Atlético x Chelsea. Se o Atlético de Madrid é atualmente líder na Espanha e gosta de jogos grandes como este, não podemos nos esquecer que o jovem time do Chelsea, comandado por Lampard, vem fazendo uma temporada bastante sólida na Inglaterra.

NEYMAR X MESSI

Mas o duelo que verdadeiramente chama a atenção é o Barcelona x Paris Saint-Germain. Que na verdade é um duelo entre Neymar e Messi. O futebol coletivo, mas nenhum dos outros 14 clubes das oitavas de final depende tanto de um jogador só como Barça e PSG no momento. É a dependência ao quadrado.

Existe uma rivalidade entre os clubes, criada essencialmente pela compra de Neymar (com pagamento de cláusula rescisória) por parte do PSG, no meio de 2017. Um ano e meio atrás, Neymar fez de tudo para voltar, mas não conseguiu. E agora não só parece ter decidido seguir carreira em Paris como tenta convencer Messi a jogar ao lado dele.

Imaginem se Messi assina um pré-contrato com o PSG em janeiro e, ato seguido, entra em campo pelo Barcelona neste confronto? Seria mais uma situação humilhante para o Barça, que possivelmente nem poderia escalar o argentino, sob desconfiança de um conflito de interesses.

Lembrando que Messi pode assinar com qualquer clube do mundo a partir de janeiro, pois o contrato com o Barcelona acaba no fim da temporada. Até lá, o clube catalão terá eleições presidenciais. Messi ainda pode decidir ficar e encerrar a carreira no próprio Barça, mas, neste momento, ainda mais com a temporada esportiva ruim do clube, parece estar mais propenso a se mandar. Lembrando que ele pode não assinar com ninguém em janeiro e ainda assim decidir sair do Barcelona quando a temporada de fato acabar. Ou, se decidir mesmo sair e for uma situação insustentável, o Barcelona pode tentar ganhar algum dinheirinho vendendo o jogador para alguém no mesmo que vem. Não dá para saber. Nem Messi sabe o que será dele.

Se esse confronto de oitavas fosse, digamos, semana passada, o PSG seria muito favorito contra o Barcelona. Mas é muita água que vai passar por baixo da ponte até fevereiro! Neymar sofreu uma dura entrada ontem, deve voltar aos gramados só ano que vem. Tem a situação de Messi, que pode (ou não) ser resolvida em janeiro. E tem o próprio desenvolvimento esportivo dos dois clubes até lá.

O Paris parece um time mais forte no momento, mas atenção: está só em terceiro lugar na França. É uma temporada pandêmica, estranha, com calendário apertado e em que é difícil prever muita coisa. Sem Neymar, o PSG é muito vulnerável. Basta ver o que foi a fase de grupos com e sem ele. Mbappé ainda não parece pronto para colocar um time inteiro nas costas e levar adiante.

Já o Barcelona é vulnerável com Messi e pior ainda sem ele. Faz uma temporada bisonha, carregando fracassos desde o 8 a 2 sofrido diante do Bayern, em agosto. Hoje, não parece ser capaz de ganhar um confronto grande contra ninguém. Mas e em fevereiro?

Se Messi não estiver em campo, é impossível imaginar o Barça passando. Se Neymar não estivesse em campo, seria difícil pensar no PSG avançando. São dois times frágeis e ultradependentes de seus craques.

OITAVAS DA CHAMPIONS LEAGUE:

Borussia Mönchengladbach x Manchester City
Lazio x Bayern de Munique
Atlético de Madrid x Chelsea
RB Leipzig x Liverpool
Porto x Juventus
Barcelona x PSG
Sevilla x Borussia Dortmund
Atalanta x Real Madrid

* Os times da coluna da esquerda fazem a primeira partida em casa e decidem foram de casa.