PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Barcelona faz lição de casa, mas precisa melhorar para a hora H da Liga

Messi comemora gol do Barcelona contra o Leganés, pelo Campeonato Espanhol - REUTERS/Albert Gea
Messi comemora gol do Barcelona contra o Leganés, pelo Campeonato Espanhol Imagem: REUTERS/Albert Gea
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

16/06/2020 18h54

O Barcelona venceu o Leganés por 2 a 0, nesta terça, no Camp Nou, com gols de Fati e Messi. Pouco antes do pênalti polêmico que resultou no gol do argentino, um impedimento milimétrico visto pelo VAR invalidou o que seria um gol de Griezmann.

O francês segue na mesma de antes da pandemia. As coisas não dão certo para ele - nem quando marca, vale. Falta o protagonismo dos tempos de Atlético. O Barça precisa mesmo é de Suárez, que mais uma vez entrou no segundo tempo e mais uma vez mostrou que está sem ritmo. Atacante é assim, às vezes demora para engatar a segunda marcha. Quando engata, vai embora.

Não dá para dizer que foi uma vitória sem sustos. Nos primeiros 15min de jogo, o Leganés perdeu um gol feito (três contra Ter Stegen após um impedimento rompido) e acertou uma na trave. Depois disso, virou aquele jogo tradicional. O Barcelona com o controle, dominando, com a bola no campo do adversário, mas sem criar grandes ocasiões.

O jogo se encaminhava para um intervalo sem gols, quando Fati acertou um belíssimo chute. No segundo tempo, veio o segundo, de pênalti. Ao contrário do Real Madrid, o Barcelona não deixa o adversário mais fraco se impor e gostar do jogo. Mas tampouco cria tanto assim para golear ou empolgar. O Barça de Setién é um time lento em muitos momentos e que corre riscos.

Será preciso melhorar para a sequência que vem agora. O Barça enfrenta o Sevilla, o Athletic Bilbao, o Celta e o Atlético de Madrid. É a sequência mais dura. Se passar dela com mais pontos que o Real Madrid, muito dificilmente ficará sem o título.

Por enquanto, o Barcelona pós-pandemia mostrou o mesmo futebol de antes. Aquele futebol em que as coisas são certo por causa de Messi.

Julio Gomes