PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


São Paulo é o time que melhor joga entre os quatro grandes paulistas

Alexandre Pato, atacante do São Paulo, comemora seu gol contra a Ponte Preta  - Daniel Vorley/AGIF
Alexandre Pato, atacante do São Paulo, comemora seu gol contra a Ponte Preta Imagem: Daniel Vorley/AGIF
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

03/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • O São Paulo joga melhor do que os três concorrentes do estado
  • A explicação está na continuidade e na qualidade do elenco
  • A paz só virá com algum título, e o caminho para isso ainda é longo

Quem está jogando mais bola no início de temporada do futebol paulista? Quem não responder que é o São Paulo é clubista.

É um "não-debate". O Santos de Jesualdo não é nem sombra do Santos de Sampaoli. O Corinthians de Tiago Nunes começou prometendo, depois despencou, veremos no que vai dar. O Palmeiras de Luxemburgo foi outro que deu boa pinta na volta da pré-temporada, mas hoje parece o mesmo time de Felipão e Mano - do jogo direto.

É até natural que o São Paulo esteja melhor entre os quatro. E a explicação passa por vários fatores: manteve o técnico, manteve o elenco e é o único que não se propôs a radicalizar em 2020.

Fernando Diniz é um bom técnico com ótimas ideias, apesar de tanta gente adorar odiá-lo. Tal visão de jogo é condizente com o bom futebol jogado por aí nos grandes centros. E os jogadores, especialmente os caciques do elenco, compraram a ideia, estão fechados com o treinador. São jogadores de peso, de mais peso do que os encontrados nas outras agremiações paulistas.

A única coisa que joga contra o São Paulo é o próprio São Paulo. A seca de títulos, os anos de fracassos, a desconfiança da torcida e uma parte da diretoria e da imprensa que é tão histérica quanto a arquibancada.

Não fosse esse cenário todo interno, o São Paulo estaria sendo considerado o grande favorito para o Paulistão e, talvez, o grande adversário do Flamengo na temporada. Mas a desconfiança só será quebrada mesmo quando vier um título, e o caminho para isso ainda é muito longo.

O Palmeiras também tem um elenco forte, o problema é que vai ficando cada vez mais claro que é um elenco que se sente mais confortável mesmo praticando o jogo direto que agradava aos treinadores anteriores. O caminho de Luxemburgo é longo, e o clube precisa pensar na temporada toda, não na fotografia do momento. No momento, no entanto, não é um time que joga bem.

O Corinthians vive a tentativa de se encontrar com o futebol, após tantos anos de divórcio. Não é fácil, vamos ver o que Tiago Nunes vai conseguir fazer neste mês, que virou uma pré-temporada, pela ausência na Libertadores. No meu ponto de vista, o material humano está bem abaixo do material à disposição de Diniz e Luxa.

E o Santos sofreria inevitavelmente após a saída de Sampaoli. O time é bem medião, a diretoria não sabe para onde ir, há muitas dúvidas sobre a contratação de Jesualdo e sobre a permanência dele. O ideal seria deixar o trabalho prosseguir, mas não tem pinta de que será assim.

O bom futebol do São Paulo se traduz em um jogo agradável de se ver, muitas chances de gols criadas e, ultimamente, gols e bons resultados. Mas todos sabemos que a paz dura até a próxima partida - e a próxima partida é de Libertadores. No Paulistão, tem mata e mata-mata, a coisa fica mais aleatória.

Não acho, como disse o grande Juca Kfouri, que o São Paulo seja o melhor preparado para a Libertadores. Porque o ambiente é de fio da navalha, só pode ser considerado preparado quem tiver altivez nas derrotas - o clube não tem. Mas, em termos de bola, ninguém joga mais do que o São Paulo por essas bandas.

Julio Gomes