PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Dupla Gre-Nal tem início dos sonhos em grupo complicado

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

03/03/2020 23h28

O grupo E, o grupo da dupla Gre-Nal, é dos mais "cascas" desta fase inicial da Libertadores. Mas, pelo que vimos na primeira rodada, os gaúchos vão poder se enfrentar sem drama e com uma boa possibilidade de entrarem juntos no mata-mata.

As vitórias de ambos nesta terça-feira foram contundentes, convincentes, animadoras.

O Inter passou o carro na Católica, campeã chilena, com 3 a 0 e dois de Guerrero. O time talvez não jogue um futebol tão belo quanto esperávamos com Coudet, mas isso passa por tempo e material humano. O Inter de Coudet é cada vez mais intenso e competitivo, não venderá barato nenhuma partida no ano.

O Grêmio, de Renato, fez as melhores contratações pontuais da pré-temporada, melhorou onde era fraco (gol, laterais). Ganhou em Cali, um estádio difícil, contra um América que há tempos não frequentava a Libertadores. Era o jogo mais difícil de um brasileiro nesta primeira rodada, mas acabou sendo fácil.

O primeiro gol do Grêmio saiu de um lance de sorte e de falha da arbitragem, já que houve impedimento no gol de Vítor Ferraz. É verdade também que nos minutos finais do primeiro tempo a pressão do América foi forte e o empate poderia ter saído.

Mas, no segundo, o Grêmio dominou totalmente o jogo, a posse de bola, não deixou o adversário se sentir cômodo. Ao contrário do ano passado, o Grêmio começa forte a Libertadores e mostra-se um time mais completo e confiável do que em 2019.

O Gre-Nal da segunda rodada, quinta que vem, no campo do Grêmio, não deixará o perdedor contra as cordas. E o da quarta rodada também passará longe de ser um jogo de vida ou morte. Os gaúchos vêm fortes para o torneio e têm tudo para irem juntos ao mata-mata.

Julio Gomes