PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


São Paulo goleia. Não estava ruim antes e não está perfeito agora

Jogadores do São Paulo comemoram gol de Daniel Alves contra o Oeste - Bruno Ulivieri/AGIF
Jogadores do São Paulo comemoram gol de Daniel Alves contra o Oeste Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

22/02/2020 18h46

Quando o São Paulo joga bem e perde ou empata, as cornetas soam fortemente.

E quando o São Paulo joga mal por 60 minutos, mas ganha de 4 a 0? Aí as cornetas somem.

O sábado de Carnaval será um bom dia para diferenciar quem analisa desempenho e quem analisa placar final de jogo.

Vencer é sempre melhor do que não vencer. Essa é uma verdade imutável do futebol e de qualquer esporte, ninguém quer perder. Mas se for para sentar na frente de um computador e escrever "está bom" ou "está ruim" em função do resultado, bem, isso qualquer um pode fazer.

A evolução tática do São Paulo é nítida de um ano para o outro. Hoje, houve evolução técnica e estagnação tática.

O São Paulo jogou bem as partidas anteriores e não venceu todas elas por causa de erros de arbitragem e erros de finalização. Contra o Oeste, o São Paulo jogou mal por mais de 60 minutos, talvez sua pior partida na temporada, foi pior do que o adversário entre o primeiro e o segundo gols. Mas ganhou por 4 a 0, porque soube aproveitar as chances criadas.

O time com Fernando Diniz não estava ruim, pelo contrário, estava bom. E agora continua bom, não está perfeito. A diferença foi que a bola entrou. Para o torcedor, essa é toda a diferença que importa. Para quem analisa futebol, não.

Ao final da partida, Pato disse: "o gol sempre vai sair, mas precisamos proteger melhor o Volpi". Hoje, o São Paulo não protegeu bem o Volpi, essa é claramente a melhoria tática que Diniz precisa promover. O gol, como disse Pato, vai sempre sair.

O São Paulo começou a partida com 1 a 0, com um gol de Daniel Alves logo no comecinho. A partir daí, cedeu chances ao Oeste, que teve bola na trave e levou perigo algumas vezes, criou poucas ocasiões de gol, mostrou lentidão e pouca verticalidade.

O jogo muda quando Hernanes entra no lugar de Vítor Bueno. Anthony passa para o lado esquerdo do campo, acelera uma jogada e cria a ocasião de gol. Uma ocasião em que a bola roda infinitamente até que, afinal, sobra para Pato marcar e "tirar a zica".

A partir dos 20min, com 2 a 0 no placar e um time melhor colocado em campo, o São Paulo cresce e constrói a goleada.

Pato no lugar de Pablo parece uma mudança consolidada, Igor Gomes no time dá um ganho de presença ofensiva, Anthony traz profundidade. Mas Hernanes será muito útil, sem que se exija dele jogar bem por 90 minutos. Vamos aguardar para os próximos capítulos são-paulinos.

Julio Gomes