PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Justiça arquiva processo da Fifa contra Globo e Copa do Mundo fica na TV

Troféu da Copa do Mundo da Fifa é exibido durante cerimônia de sorteio dos grupos - AFP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA
Troféu da Copa do Mundo da Fifa é exibido durante cerimônia de sorteio dos grupos Imagem: AFP PHOTO / VANDERLEI ALMEIDA
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

20/03/2021 04h00

A 6ª Vara Empresarial do Estado do Rio de Janeiro arquivou, no início desta semana, o processo em que Globo e Fifa brigavam por causa do não pagamento de 90 milhões de dólares (R$ 494 milhões na cotação atual) da parcela de 2020 do contrato de direitos de transmissão de eventos da entidade entre 2015 e 2022. A Globo entrou com liminar para não pagar o valor em junho do ano passado por causa da crise econômica provocada pela pandemia de covid-19.

Com o arquivamento, a emissora continuará a ter o direito de exibir eventos esportivos da entidade, como a Copa do Mundo do Qatar, que acontece no fim de 2022. O Mundial de Clubes de 2021 e 2022 também está neste pacote, entre outros.

A coluna teve acesso à movimentação de arquivamento processual. Na decisão, o desembargador Plínio Pinto Coelho Filho afirmou ter julgado o assunto sozinho, mas sem resolução de mérito. Ou seja, o desembargador decidiu encerrar a disputa sem analisar as alegações do reclamante —no caso, a Fifa. O blog apurou que Fifa e Globo resolveram a situação entre si e preferiram desistir da briga na Justiça.

A disputa começou no ano passado, no auge da pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, a Globo alegou que a pandemia fez todos os grupos de mídia passarem por dificuldades financeiras. Além disso, o grupo de comunicação brasileiro argumentou que as competições da Fifa previstas para o ano foram canceladas, o que causou prejuízo.

Entre os eventos previstos para 2020 estavam o Mundial de Futsal e as Copas do Mundo Feminina Sub-17 e Sub-20 —todos adiados para 2021. O torneio olímpico de futebol, que seria realizado nos Jogos de Tóquio 2020 também é organizado pela Fifa, mas o contrato não contempla a sua exibição.

A emissora alegou também que o valor ficou impagável por causa da elevação do dólar —US$ 90 milhões, no câmbio atual, representam algo próximo a R$ 500 milhões. Em suas alegações, a empresa brasileira afirmou ter sido sempre uma boa parceria —antes do problema em 2020, pagou em dia todas as cinco parcelas do contrato desde 2015.

Após a abertura do processo, a Globo conseguiu uma liminar e venceu em duas instâncias na Justiça no Rio de Janeiro, com a Fifa recorrendo sempre que perdia. Em janeiro, executivos das duas partes se reuniram pouco antes do Mundial de Clubes, realizado em fevereiro, para discutir a situação. Com o arquivamento, a Globo segue como principal parceira comercial da Fifa no Brasil.