PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Band confirma acerto e vai transmitir Fórmula 1 até 2022

Valtteri Bottas durante treino livre na Fórmula 1: Band é a nova casa da categoria -  Rudy Carezzevoli / Correspondente
Valtteri Bottas durante treino livre na Fórmula 1: Band é a nova casa da categoria Imagem: Rudy Carezzevoli / Correspondente
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

09/02/2021 16h03

A Band assinou nesta terça-feira (9) o contrato de direitos de transmissão da Fórmula 1 para o Brasil. O acordo foi fechado com a Liberty Media, dona da principal categoria de automobilismo do mundo. O vínculo é válido para as temporadas 2021 e 2022. Além das corridas aos domingos, os treinos oficiais aos sábados serão exibidos no BandSports. A Fórmula 2 e Fórmula 3 também serão mostradas no canal pago.

O anúncio foi feito por Glenda Kozlowski e Reginaldo Leme dentro do programa "Brasil Urgente", apresentado por Datena. À noite, o "Jornal da Band" mostrará duas reportagens para comunicar ao público da Band sobre a aguardada novidade. Uma delas mostrará os detalhes do contrato. A outra, o histórico da Band na categoria, que volta à F1 após 41 anos.

Em 1980, a emissora foi licenciada pela Globo para exibir o campeonato mundial de pilotos e mostrou sozinha a primeira vitória de Nelson Piquet —no ano seguinte, o brasileiro seria campeão pela primeira vez. Quem narrou a categoria naquele ano pela Band foi Galvão Bueno. No ano seguinte, devido ao desempenho elogiado, o profissional acabou contratado pela Globo.

No contrato, a Band se compromete a fazer uma transmissão em diversas plataformas — em TV aberta, internet e rádio. Band e Liberty dividirão os lucros das cotas adquiridas por patrocinadores. O fato agradou a Liberty Media, que não queria abrir mão da exibição de corridas em uma rede aberta no Brasil. Para viabilizar o negócio, a Band já começou a conversar com o mercado publicitário. A Renault, montadora que tem equipe na Fórmula 1 e patrocina transmissões na Globo desde 2007, foi uma das marcas procuradas e já sinalizou interesse pelo projeto.

A Liberty também estuda lançar no Brasil a sua plataforma de streaming, a F1 TV Pro. O serviço promete cobertura detalhada mediante pagamento de uma assinatura mensal. O grupo estrangeiro não abria mão dessa vertente de negócio para conversar com uma televisão no país.