PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fortaleza colhe frutos e podia ter passado sem sufoco na Libertadores

Moises, do Fortaleza, comemora gol sobre o Colo-Colo pela Copa Libertadores - MARTIN BERNETTI / AFP
Moises, do Fortaleza, comemora gol sobre o Colo-Colo pela Copa Libertadores Imagem: MARTIN BERNETTI / AFP
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

25/05/2022 21h16

Não existe justiça no futebol, mas a classificação do Fortaleza é daquelas que dá gosto de ver na Libertadores. A equipe do nordeste jogou bem em praticamente toda a competição e só avançou para o mata-mata da competição sul-americana com um sufoco que testa o coração do torcedor, mas que podia ter sido evitado, inclusive hoje (25) na vitória contra o Colo-Colo.

Desde a estreia, em abril, o Leão foi bem. Dominou o mesmo Colo-Colo em quase toda a partida, mas abusou de perder chances e foi penalizado por uma equipe que era inferior, mas que tinha mais tradição no continente. Depois, na derrota para o River fora de casa, os brasileiros também foram muito melhor do que a expectativa considerando a diferença entre os dois.

As vitórias contra o Alianza Lima tiveram roteiro parecido. Até mesmo hoje, na vitória que determinou a vaga, a emoção podia ter sido bem menor. Depois de chegar a construir uma goleada, viu o adversário encostar no placar e, mesmo com um a menos, pressionar até o apito final.

Pelo desempenho em campo, a vaga é merecida. E fora dele, o Fortaleza também colhe frutos do que plantou. A atual gestão priorizou pagar as dívidas, deixar as finanças em dia e investir na estrutura. Não é o caminho mais fácil em um país em que times chegam na dívida do bilhão e justificam como se fosse normal apostar o que não tem para tentar ganhar mais no futuro. Mas é, de longe, o caminho mais sustentável.

Classificado para o mata-mata, o Leão agora precisa acordar no Brasileirão. Na competição nacional, o time faz roteiro parecido, onde amassa alguns adversários, inclusive o Corinthians, mas não consegue a vitória. Por enquanto, a equipe amarga uma dolorida lanterna. É bom acordar enquanto há tempo, antes de a pressão deixar as pernas dos comandados de Vovjvoda mais pesadas.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter, no Instagram e no TikTok