PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Flamengo tem caminho mais fácil entre brasileiros até final da Libertadores

Pedro comemora após marcar pelo Flamengo em jogo contra o Palmeiras - Jorge Rodrigues/AGIF
Pedro comemora após marcar pelo Flamengo em jogo contra o Palmeiras Imagem: Jorge Rodrigues/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

01/06/2021 13h47

O sorteio deste ano da Libertadores não deixou um caminho tão claro para algum time como foi o do Palmeiras no ano passado, que enfrentou a maior pedreira apenas na semifinal ao eliminar o River Plate. Mas se tem um brasileiro que pode ser considerado o que tem a missão mais fácil (ou menos difícil) é o Flamengo.

A equipe carioca foi sorteada para pegar o Defensa y Justicia nas oitavas de final e pode ser considerada favorita. A equipe de Sebastian Beccacece tem um meio-campo organizado, com algumas boas investidas ofensivas, mas defensivamente tem sérios problemas, especialmente por ter um goleiro pouco confiável e zagueiros lentos.

Depois, nas quartas de final, o Internacional complicaria um pouco o confronto do Rubro-Negro, mas nada no mesmo nível do que poderíamos ter com um jogo na mesma fase entre São Paulo e Palmeiras ou Atlético-MG e River Plate. Até porque a equipe de Porto Alegre alterna entre partidas boas e outras partidas bem ruins. O time de Miguel Ángel Ramirez, por sua vez, entra como favorito nas oitavas, mas certamente será zebra caso encontre os flamenguistas na fase seguinte.

Do outro lado da chave, o Palmeiras comemora o fato de enfrentar a Universidad Católica, mas logo nas quartas de final pode reencontrar seu grande carrasco histórico na Libertadores e algoz recente do Paulistão: o São Paulo. A equipe de Crespo, por sua vez, teve o azar de encontrar o Racing logo no primeiro confronto, time que complicou a vida dos são-paulinos na primeira fase, mas entra psicologiamente forte caso enfrente o Alviverde.

O Atlético-MG vai enfrentar o Boca Juniors, que está longe de apresentar um futebol de dar medo, mas que conta sempre com a mística da competição sul-americana. Em uma eventual quartas de final, a equipe de Cuca terá o duríssimo trabalho de provavelmente enfrentar o River Plate.

Já o Fluminense tem um rival que permite o torcedor sonhar: o Cerro Porteño. A vida se complica logo em seguida ao enfrentar o Vélez ou até o Barcelona do Equador e definitivamente se transforma em pesadelo em um eventual confronto de semi com o Flamengo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL