PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Palmeiras tem cada vez menos marcas para se defender e dá paz a Diniz no SP

Vanderlei Luxemburgo e Fernando Diniz se cumprimentam antes de Palmeiras x São Paulo, pelo Brasileirão - Marcello Zambrana/AGIF
Vanderlei Luxemburgo e Fernando Diniz se cumprimentam antes de Palmeiras x São Paulo, pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

10/10/2020 20h58

O Palmeiras que até há pouco se orgulhava de marcas para defender o atual trabalho começa a ver algumas de suas principais sequências serem quebradas aos poucos. Hoje, foi a vez de o Alviverde perder do São Paulo, o que significa a primeira derrota em casa no ano.

Mais do que isso, a vitória são-paulina no Allianz Parque quebra um dos tabus que a torcida mais gostava de brincar: até hoje, o Tricolor tinha ido até a arena palmeirense nove vezes, com oito derrotas e um empate. Considerando também o antigo Palestra Itália, o tabu durava desde 2007.

Do outro lado, o tão criticado Fernando Diniz consegue um respiro depois de ser "colocado contra a parede". Se não vencesse na rodada passada contra o Atlético-GO, provavelmente estaria vendo o jogo de casa. Hoje, chega ao segundo triunfo seguido, abre quatro pontos do vizinho de muro, que ainda pode ser ultrapassado até pelo Fluminense na rodada de amanhã.

Hoje, sua equipe não teve uma apresentação brilhante, mas, diante de toda a pressão, entrou como zebra e conseguiu a vitória que não vinha há tanto tempo. É um pouco de alegria ao torcedor que sofreu tanto em 2020.

Os papéis agora se invertem. Até porque contra o Botafogo, no meio da semana, o Palmeiras já havia sido derrotado pela primeira vez no Brasileirão. A invencibilidade era um dos principais argumentos para a defesa de Vanderlei Luxemburgo até então, apesar das apresentações instáveis. O 100% de aproveitamento da Libertadores também já não existe mais.

Curiosamente, no meio de toda essa instabilidade, dois dos melhores jogos do Palmeiras no ano tinham sido contra os rivais. Diante de Corinthians e Santos, o Alviverde foi muito bem e deu a esperança que o técnico havia encontrado o seu time ideal. Não é o que a sequência mostrou.

Até mesmo a defesa tão elogiada por ser a melhor do país no ano já não tem mais a segurança de outrora. Pelo quinto jogo consecutivo, um goleiro palmeirense precisou buscar a bola no fundo das redes.

O pior para o torcedor palmeirense é a perspectiva de que algo vai melhorar. O jogo de hoje mostrou mais um time pouquíssimo produtivo, com jogadores amontoados em alguns setores do campo. Frequentemente, alguém que estava com a bola abria o braço cobrando movimentação de quem estava à frente. Falta opção para quem passar a bola.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.