PUBLICIDADE
Topo

Alicia Klein

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O Flamengo não deveria precisar do Véio da Havan

Tirulipa e Luciano Hang viralizaram com a dancinha do carpinteiro  - Reprodução
Tirulipa e Luciano Hang viralizaram com a dancinha do carpinteiro Imagem: Reprodução
Alicia Klein

Alicia Klein tem quase 20 anos de mercado esportivo em posições de liderança no Brasil e no exterior. Escreveu a biografia de Michael Schumacher, trabalhou na NFL, no universo olímpico e no da Copa do Mundo. Decidiu que é hora de falar sobre misoginia, racismo, trabalho infantil e tudo que o esporte aceita em nome dos resultados dentro e fora de campo.

11/05/2021 13h47

O que o patrocínio da Havan ao Flamengo diz a você?

Nada, porque patrocínios não são políticos e ninguém se importa que o dono da rede seja um negacionista, que ri na cara de uma doença que matou mais de 400 mil brasileiros, inclusive a própria mãe? O clube precisa enriquecer o cofrinho e o resto é balela?

Ou você achou meio chato por saber que a marca de uma pessoa tão controversa terá ainda mais exposição?

A mim, incomodou demais. Ah, mas a Havan já patrocina o Vasco, o Athletico-PR, tem placas no campo. Sim, mas o Flamengo alça Luciano Hang a novos voos. Se o clube está em outro patamar, levou agora para lá um ser humano desprezível, de mãos dadas com Gabigol e companhia, de camisa rubro-negra, em vez de suas tradicionais vestes verde-amarelas.

Conheço um tanto de patrocínios e, embora não tenha visto o contrato, só consigo pensar que quem saiu ganhando nisso tudo não foi o Flamengo. Neste tipo de relação, além do dinheiro, há uma troca dos valores associados a cada lado, da propriedade para a empresa e vice-versa. Por isso, tenta-se sempre entender o que é importante para cada parte, que tipo de mensagem se quer transmitir.

O que me leva a crer que a diretoria na Gávea ou está se lixando para os valores que deveria representar (dificilmente alinhados com isso) ou assina um atestado de incompetência, admitindo que não conseguiu nada melhor neste momento para uma das propriedades mais valiosas do esporte brasileiro. Não sei o que é pior, em se tratando do time com a maior torcida do país.

Quem me acompanha nas redes sociais sabe que há o risco de o meu filho ser flamenguista. De minha parte, torcerei muito para que ele nunca saiba que o time do pai dele aceitou dinheiro de um homem como Luciano Hang. Porque a história há de mostrar que a Havan precisa muito mais do Flamengo do que o Flamengo da Havan. Ainda bem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL