PUBLICIDADE
Topo

Basquete

Times da NBA protestam contra diferença de tratamento em protestos nos EUA

Miami Heat e Boston Celtics divulgaram manifesto após invasão ao Capitólio - Divulgação/Twitter
Miami Heat e Boston Celtics divulgaram manifesto após invasão ao Capitólio Imagem: Divulgação/Twitter

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/01/2021 22h45

Miami Heat e Boston Celtics, duas tradicionais equipes da NBA, principal liga de basquete dos EUA, se manifestaram hoje (6) após manifestantes pró-Trump invadirem o Capitólio, como é conhecido o Congresso Americano, durante a sessão que certificaria Joe Biden como presidente.

Em carta divulgada nas redes sociais, os times reclamaram da diferença do tratamento dado aos manifestantes que defendem o ex-presidente Donald Trump, derrotado por Joe Biden na última eleição, e do tratamento dado para as pessoas que foram às ruas nos protestos contra a violência sobre a população negra.

Diferentemente do ano passado, quando os jogadores se negaram a entrar em quadra após um caso de violência policial contra uma pessoa negra, os jogadores foram à quadra e novamente se ajoelharam antes do início do jogo.

Na mensagem divulgada nas redes sociais, as equipes relataram também o descontentamento com a decisão da justiça americana de não denunciar criminalmente o policial que atirou em Jacob Blake. Leia o manifesto abaixo:

Leia abaixo a mensagem divulgada por ambas as equipes nas redes sociais:

"2021 é um novo ano, mas algumas coisas não mudaram. Jogamos o jogo desta noite com o coração partido depois da decisão de ontem em Kenosha, e por saber que os manifestantes na capital de nosso país são tratados de forma diferente pelos líderes políticos, dependendo de que lado de certas questões eles estão. A diferença drástica entre a forma como os manifestantes da última primavera e verão [época dos protestos contra a violência policial contra negros] foram tratados e o incentivo dado aos manifestantes de hoje que agiram ilegalmente apenas mostra o quanto mais trabalho temos que fazer.

Decidimos jogar o jogo desta noite para tentar trazer alegria para a vida das pessoas. Mas não devemos esquecer as injustiças em nossa sociedade e continuaremos a usar nossas vozes e nossa plataforma para destacar essas questões e fazer tudo o que pudermos para trabalhar por uma América mais igual e justa."

Basquete