PUBLICIDADE
Topo

Basquete

LeBron usa boné anti-Trump e pede justiça por jovem negra morta por polícia

Boné usado por LeBron e outros jogadores dos Lakers lembra caso de Breonna Taylor - Reprodução/Instagram
Boné usado por LeBron e outros jogadores dos Lakers lembra caso de Breonna Taylor Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

19/08/2020 12h40

O astro do Los Angeles Lakers, LeBron James, aproveitou sua popularidade para reforçar o pedido de justiça por Breonna Taylor, jovem negra morta pela polícia ainda em março. O ala chegou ontem para o primeiro jogo dos Lakers pelos playoffs da NBA vestindo um boné que fazia uma paródia com o slogan da última campanha do presidente americano Donald Trump.

O chapéu vermelho, inspirado em bonés de baseball e usado com frequência por Trump, tinha a frase "Make America Great Again" (Faça a América Grande Novamente), mas com parte do slogan riscado e um complemento, formando a frase "Faça a América prender os policiais que mataram Breonna Taylor".

Assim como LeBron, vários outros jogadores dos Lakers usaram o boné antes do jogo na "bolha" da NBA, onde são disputados os playoffs por conta da pandemia do novo coronavírus. O complexo esportivo fica dentro de um resort da Disney em Orlando, na Flórida.

Say Her Name. Justice for Breonna Taylor.

Uma publicação compartilhada por Los Angeles Lakers (@lakers) em

"Isso é algo que continuamos a colocar nosso pé no acelerador, continuamos a pressionar", disse o ala após a derrota dos Lakers para o Portland Trail Blazers, lembrando que ainda não houve uma punição mais severa aos policiais envolvidos na morte de Breonna.

"Uma mulher inocente sendo assassinada", afirmou o ala. "Uma mulher que tinha um futuro brilhante e sua vida foi tirada dela. E não houve prisões. Não houve justiça. Não apenas por ela, mas por sua família. E queremos continuar a lançar luz sobre essa situação, porque é simplesmente injusto", completou LeBron.

Sem justiça

O caso de Breonna ganhou notoriedade em meio aos protestos antirracistas que se seguiram nos Estados Unidos após a morte de George Floyd, segurança negro asfixiado por um policial branco em Minneapolis, no final de maio. A jovem de 26 anos foi morta ainda no dia 13 de março, em Louisville.

Breonna era uma técnica de emergências médicas e foi morta com pelo menos oito tiros disparados por policiais em uma ação cercada de polêmica. Três agentes à paisana invadiram a casa em que Breonna dormia com o namorado graças a um mandado de busca com o qual podiam entrar no imóvel sem autorização.

A ação, que tinha relação com uma investigação sobre tráfico de drogas, terminou com Breonna morta após seu namorado atirar contra os policiais, segundo ele, em legítima defesa, já que teria se assustado com a invasão do imóvel. Os policiais alegam que atiraram em resposta ao ataque do namorado de Breonna.

Os agentes envolvidos na ação não foram formalmente acusados e estão apenas trabalhando em áreas administrativas da polícia local por conta do episódio.

Basquete