PUBLICIDADE
Topo

Datafolha em MG: Zema tem 57,8% dos votos válidos e vence em primeiro turno

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil  - Marcello Casal Jr./Agência Brasil e Gledston Tavares/Framephoto/Estadão Conteúdo
O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil e Gledston Tavares/Framephoto/Estadão Conteúdo

Mariana Durães e Sara Baptista

Do UOL, em São Paulo

01/07/2022 19h13Atualizada em 01/07/2022 19h13

Datafolha - Pesquisa muito confiável -  -

?

A pesquisa Datafolha contratada e divulgada hoje pelo jornal Folha de S.Paulo aponta que o governador Romeu Zema (Novo) venceria a reeleição ao governo de Minas Gerais porque tem 57,8% dos votos válidos, mais do que a soma de todos os outros concorrentes. Em segundo lugar, aparece o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD), com 25,3% dos válidos.

Segundo a lei das Eleições do TSE, para vencer em 1º turno o candidato precisa ter 50% dos votos válidos mais 1. Os votos válidos não levam em conta as intenções de voto em branco e nulo e os não sabem.

O cenário principal mostra Zema com 48% dos votos e Kalil com 21%. Os demais candidatos aparecem empatados entre si na margem de erro, que é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

O senador Carlos Viana (PL) tem 4% e Vanessa Portugal (PSTU) aparece com 3%. O ex-deputado federal Miguel Correa (PDT) e Renata Regina (PCB) têm 2% cada. Já Marcus Pestana (PSDB), Lorene Figueiredo (PSOL) e Saraiva Felipe (MDB) marcaram 1%.

Esse é o primeiro levantamento do Datafolha para Minas Gerais. A pesquisa divulgada hoje não considerou um cenário de segundo turno para a disputa mineira.

A pesquisa Datafolha foi contratada pela Folha de S.Paulo, por R$ 231.526,00. Foram feitas 1.204 entrevistas presenciais entre os dias 29 de junho e 1º de julho. O intervalo de confiança é de 95%. O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com os códigos MG-07688/2022 e BR-08684/2022.

Confira os cenários

Cenário 1 - Estimulado

  • Romeu Zema (Novo) - 48%
  • Alexandre Kalil (PSD) - 21%
  • Carlos Viana (PL) - 4%
  • Vanessa Portugal (PSTU) - 3%
  • Renata Regina (PCB) - 2%
  • Miguel Correa (PDT) - 2%
  • Marcus Pestana (PSDB) - 1%
  • Lorene Figueiredo (PSOL) - 1%
  • Saraiva Felipe (MDB) - 1%
  • Brancos/Nulos - 8%
  • Não sabem/Não responderam - 10%

Cenário 2 - Votos válidos

  • Romeu Zema (Novo) - 57,8%
  • Alexandre Kalil (PSD) - 25,3%
  • Carlos Viana (PL) - 4,8%
  • Vanessa Portugal (PSTU) - 3,6%
  • Renata Regina (PCB) - 2,4%
  • Miguel Correa (PDT) - 2,4%
  • Marcus Pestana (PSDB) - 1,2%
  • Lorene Figueiredo (PSOL) - 1,2%
  • Saraiva Felipe (MDB) - 1,2%

Pesquisa espontânea

O Datafolha também considerou um cenário de pesquisa espontânea. Nesse caso, o entrevistado não é informado sobre os nomes dos candidatos.

  • Romeu Zema (Novo) - 22%
  • Alexandre Kalil (PSD) - 11%
  • Não sabem - 59%

Essa opção fez uma diferença entre os eleitores. No interior, Zema tem 52% e Kalil 14%. Já na capital o ex-prefeito de BH vence por 46% a 32%.

Cenário de rejeição

A pesquisa Datafolha também questionou os entrevistados sobre em quais candidatos não votariam. Alexandre Kalil tem a maior rejeição, com 27%. Zema tem 22%, Carlos Viana (PL) aparece com 21% e Miguel Correa (PDT), 19%.

Confira:

  • Alexandre Kalil (PSD) - 27%
  • Romeu Zema (Novo) - 22%
  • Carlos Viana (PL) - 21%
  • Miguel Correa (PDT) - 19%
  • Vanessa Portugal (PSTU) - 17%
  • Marcus Pestana (PSDB) - 17%
  • Saraiva Felipe (MDB) - 16%
  • Renata Regina (PCB) - 15%
  • Lorene Figueiredo (PSOL) - 14%
  • Rejeita todos/Não votaria em nenhum - 4%
  • Votaria em qualquer um/Não rejeita nenhum - 5%
  • Não sabe - 17%

O Datafolha é um instituto de pesquisas ligado ao jornal Folha de S.Paulo. O instituto só realiza pesquisas eleitorais financiadas por grupos de comunicação. As pesquisas geralmente são feitas abordando entrevistados em pontos de grande fluxo de pessoas em áreas estabelecidas conforme distribuição do eleitorado brasileiro.