PUBLICIDADE
Topo

Datena: Bolsonaro tem sido muito leal a mim. Guedes não me agrada

Em abril, o comunicador foi vaiado por bolsonaristas em um evento promovido justamente por aliados do chefe do Executivo - Reprodução
Em abril, o comunicador foi vaiado por bolsonaristas em um evento promovido justamente por aliados do chefe do Executivo Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL

27/05/2022 11h39Atualizada em 27/05/2022 15h04

Pré-candidato ao Senado em São Paulo, o comunicador José Luiz Datena (PSC) disse que o presidente Jair Bolsonaro (PL) "tem sido muito leal". A declaração, concedida à coluna de Guilherme Amado, no site Metrópoles, aparece em meio a críticas de bolsonaristas pelo apoio ao apresentador.

Datena, por outro lado, voltou a criticar o ministro da Economia, Paulo Guedes, que segundo ele, "não agrada".

Há coisas no governo que eu elogio, mas a política econômica do Paulo Guedes não me agrada. Tem que ajudar mais o povo. Tem que ajudar com obras, para gerar empregos, colocar comida no prato das pessoas e investir tudo o que puder em Saúde e Educação. Tem que raspar o tacho para salvar o povo. Investir em programas sociais. É inconcebível um plano de governo que não faça isso. José Luiz Datena, pré-candidato ao Senado

Em abril, o comunicador foi vaiado por bolsonaristas em um evento promovido justamente por aliados do chefe do Executivo. Datena acompanhou o pré-candidato ao governo paulista Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos), em Rio Preto, mas ao ser anunciado o apresentador foi hostilizado pelo público presente e chamado de "comunista".

Há alguns dias, Datena protagonizou um conflito público com um aliado importante de Bolsonaro, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto. Segundo a revista Veja, o ex-deputado teria dito que o apresentador não contaria com candidatura solidificada por causa de "coisa no passado".

Ao saber da declaração, em resposta à Veja, Datena rebateu a crítica de Costa Neto. "Não pode o Valdemar Costa Neto dizer que eu tenho coisa no passado. Se ele acha isso, manda ele dizer. Eu sei o que ele tem no passado, ele saiu da cadeia outro dia. O Brasil inteiro sabe".

Na última segunda-feira, Valdemar divulgou um vídeo para amenizar o conflito. O cacique do PL ainda declarou que a sigla "precisa" da candidatura do jornalista.