PUBLICIDADE
Topo

PF deverá investigar se Moro cometeu crime por troca de domicílio eleitoral

O ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República Sergio Moro (Podemos) - Fredy Uehara/LIDE
O ex-ministro e pré-candidato à Presidência da República Sergio Moro (Podemos) Imagem: Fredy Uehara/LIDE

Weudson Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Brasília

16/05/2022 20h34

O MPE (Ministério Público Eleitoral) de São Paulo determinou hoje que a PF (Polícia Federal) instaure inquérito para apurar se o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro (União Brasil) e sua mulher, Rosângela Moro, cometeram fraude ao mudarem o domicílio eleitoral do Paraná para São Paulo. Com base no relatório da corporação, o órgão deverá recomendar o prosseguimento ou arquivamento do processo.

A decisão atende a um pedido da empresária e pré-candidata a deputada federal Roberta Luchsinger (PSB-SP), que solicitou no início de abril a abertura de investigação após Moro e Rosângela terem trocado o domicílio eleitoral de Curitiba para a capital paulista. Segundo ela, Moro teria falsificado documentos comprobatórios de residência em São Paulo a fim de concorrer nas eleições deste ano pelo Estado.

Empresária Roberta Luchsinger afirma que Sergio Moro fraudou mudança de domicílio  - Reprodução - Reprodução
Empresária Roberta Luchsinger afirma que Sergio Moro fraudou mudança de domicílio
Imagem: Reprodução

Ao UOL, Roberta comemorou a decisão. "A verdade vencerá. Nossa luta por justiça não será em vão. Sérgio Moro e Rosângela não farão de São Paulo o palco politiqueiro para suas politicagens", disse.

O anúncio da troca de domicílio ocorreu no mesmo dia em que Moro deixou o Podemos, que pretendia lançá-lo como o candidato do partido à Presidência da República, e filiou-se ao União Brasil. Em nota, à época, o ex-ministro do presidente Jair Bolsonaro (PL) disse que mantém "vínculos afetivos, econômicos, sociais e políticos" em São Paulo.

O que diz a defesa de Moro

"Sergio e Rosangela Moro cumpriram rigorosamente todas exigências da legislação eleitoral ao solicitarem a mudança de domicílio eleitoral. Moro e sua esposa estão à disposição da Polícia Federal para prestar todos os esclarecimentos necessários, confiantes de que a lei vale para todos e deverá prevalecer."

PF deverá ouvir Moro e funcionários de hotel

A defesa de Moro afirma que o ex-juiz mora atualmente num hotel na capital de São Paulo e disse que a troca de domicílio eleitoral ocorreu devido aos vínculos criados por ele durante o período de pré-campanha à Presidência da República pelo Podemos.

"Filiando-se ao Podemos em novembro de 2021, Moro estabelece São Paulo como sua base política. Passa a residir na capital paulista, no Hotel Intercontinental, cumprindo agendas semanais em São Paulo e, valendo-se da cidade como um ponto estratégico de conexão. Chegadas e partidas, das viagens nacionais e internacionais, sempre da capital", alegaram os advogados de Moro.

Na determinação de hoje, o MPE determina que a PF colha depoimentos de funcionários e moradores do hotel em que Moro afirma morar, bem como os de Moro e Rosângela. Ao UOL, a defesa de Moro afirmou processará a empresária Roberta Luchsinger, autora da ação no MPE.