PUBLICIDADE
Topo

Tarcísio promete reavaliar câmera nas fardas: 'Desconfiança ao policial'

Allan Brito e Matheus Mattos

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/05/2022 11h31Atualizada em 05/05/2022 12h20

Pré-candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) disse não estar satisfeito com a implantação de câmeras nas fardas para a gravação de ações policiais. Em participação na sabatina UOL/Folha de hoje, ele prometeu fazer mudanças nessa política de segurança pública.

"Especialistas dizem que resultados são positivos. Mas acho que a gente tem que ter capacidade de levantar outras questões. Para mim é um voto de desconfiança para o policial. Eu acredito no policial. Acredito naquele profissional que coloca uma farda e coloca a vida em risco para nos defender. Entre policial e criminoso, fico com policial. Você tira privacidade do policial e não permite que coisas que eram rotina aconteçam", afirmou Tarcísio.

O pré-candidato argumentou que a câmera inibe denúncias, mas o colunista do UOL Leonardo Sakamoto lembrou que está prevista a possibilidade de o policial desligar a câmera nesses momentos. Tarcísio citou outros pontos em que a câmera pode atrapalhar, na visão dele.

"Tem a utilização de iscas para desmobilizar uma guarnição, que vai ter que fazer uma ocorrência que não vai dar em nada. E libera a área para que um crime de maior potencial aconteça. E quanto vai custar armazenar essa quantidade de filmagem por um período de tempo? Às vezes, esse custo que o Estado deixa de investir em monitoramento de bandidos soltos, que são reincidentes e precisam ser monitorados", considerou Tarcísio, reafirmando que, se eleito, vai retirar as câmeras ou mudar a forma como são usadas hoje.

Pedágio caro

Tarcísio também respondeu sobre o pedágio na rodovia Dutra, criticado por prefeitos paulistas porque privilegia o Rio de Janeiro.

"O Vale do Paraíba vai receber muitos investimentos, como a quadruplicação de faixas, tratamento para turismo religioso, obras de viaduto. A redução do pedágio fica maior no Rio", afirmou.

"Usuário da Dutra se desloca em grande medida do Rio para São Paulo. Se não fizéssemos nada, teríamos deslocamento custando R$ 70. Com a concessão, a gente trouxe R$ 15 bilhões de investimentos e esse deslocamento vai sair por R$ 46."

Em relação a alta da inflação e como o pré-candidato iria lidar com os problemas sociais, caso eleito, ele respondeu que vai criar empregos.

"Emprego é a grande política social e vai ser o grande objetivo nosso. Existem oportunidades de fomentar o emprego, fazendo investimentos em infraestrutura, concluindo obras que estão inacabadas, aproveitando o potencial do agronegócio."

Próximas sabatinas em SP

  • Gabriel Colombo (PCB) - 05/05 - 16h
  • Altino de Melo (PSTU) - 06/05 - 10h
  • Fernando Haddad (PT) - 06/05 - 16h

O que diz a pesquisa Datafolha

O ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad (PT) lidera a intenção de votos, com 29%. Em segundo lugar, está o ex-governador Márcio França (PSB), com 20%.

O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o atual governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), têm um empate técnico, com 10% e 6%, respectivamente.