PUBLICIDADE
Topo

Garcia rejeita volta de máscaras, rebate França e defende câmeras em fardas

Allan Brito e Jessica Bernardo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/05/2022 11h29Atualizada em 04/05/2022 13h09

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), pré-candidato à reeleição, descartou retomar medidas restritivas para combater a covid-19. Recentemente houve um aumento de 45% de mortes causadas pela doença no estado. Mas ele disse que não pretende voltar com o uso obrigatório de máscara nem com restrições de mobilidade adotadas anteriormente.

"A vacina resolveu até agora a questão da covid. Tivemos aumento de mortes, mas o número de internações está estabilizado. Nosso comitê científico se reúne todos os dias e em nenhum momento eles demandaram medidas adicionais. São Paulo escolheu o lado da vida, mas não tem no horizonte nenhuma expectativa de voltar com medidas restritivas", comentou Garcia na sabatina UOL/Folha.

O governador lembrou que o uso de máscaras ainda é obrigatório nos transportes públicos e em hospitais e concordou com as medidas tomadas anteriormente para combater a covid-19.

"No mundo inteiro tivemos restrições, porque só tínhamos isso para combater a covid. Quando tivemos vacina, isso mudou. O que aconteceu em São Paulo aconteceu quase todo o Brasil. E o que aconteceu no Brasil aconteceu em quase todo o mundo. A única medida que tínhamos para combater a covid era a quarentena", pontuou Garcia.

Ao falar sobre as câmeras nos uniformes de policiais, o tucano disse que manterá a iniciativa, que faz parte do programa Olho Vivo. Durante durante sabatina do UOL/Folha na última segunda-feira, o também pré-candidato Márcio França (PSB) disse que agentes mulheres ficam constrangidas ao utilizar o banheiro por causa do equipamento.

Garcia disse que a intimidade dos policiais é garantida e rebateu a fala do adversário.

"A discussão é que a câmera é acionada remotamente. Então existe central que aciona e portanto filma absolutamente tudo. Mas a preservação íntima dos policiais existe. Isso foi discutido na época e é preservado. Eu identifico que nesse momento a câmera deixa de filmar ou tem tarja preta. Sei que pessoas não têm reclamado disso. Quem usa, os policiais. Agora palpiteira, candidato, vai ter para falar várias opiniões."

O governador disse que o uso das câmeras tem sido positivo para o estado, que registrou queda na letalidade policial desde que o projeto começou.

As mortes cometidas por policiais militares de São Paulo despencaram nos 18 batalhões que passaram a utilizar câmeras acopladas ao uniforme dos agentes. Dados obtidos pelo UOL revelaram queda de 87% nos seis meses após a ampliação do programa Olho Vivo.

'Cracolândia'

Garcia disse que a "cracolândia" é um "problema crônico" e apontou que houve uma mudança recente: os dependentes migraram para a praça Princesa Isabel e ficaram mais visíveis. Mas, segundo ele, o número de pessoas no chamado fluxo diminuiu.

"Não vou desistir [da 'cracolândia']. O que couber ao governo, estou fazendo. Não só com mais vagas aos dependentes em comunidades terapêuticas, mas também com ação policial. Na [praça] Princesa Isabel, eles têm visibilidade maior do que tinham na [alameda] Dino Bueno, mas, se medir o número do fluxo, é menor do que há seis meses", afirmou.

Não é uma tarefa simples. Já vi gente prometendo que vai acabar com a 'cracolândia' em dois ou três anos, mas é uma luta permanente. Se você não criar alternativas de nova vida ao dependente, ele não vai sair das drogas. Você faz tratamento, mas na saída não tem ninguém da família aguardando, então ele volta para ruas e para a dependência."
Rodrigo Garcia, governador de SP e pré-candidato à reeleição

Garcia entende que não adianta tratar o problema apenas com ações policiais e internações involuntárias.

"Eu estava no governo do [Geraldo] Alckmin quando fizemos um trabalho com o Judiciário e tentamos internação involuntária. E observamos que não é com medida de força que vamos resolver a 'cracolândia'. Tem várias estratégias de reinserção social e assistencial para dar nova perspectiva de vida. E tratar traficante como traficante", concluiu o governador.

Próximas sabatinas em SP

  • Vinicius Poit (Novo) - 04/05 - 16h
  • Tarcísio de Freitas (Republicanos) - 05/05 - 10h
  • Gabriel Colombo (PCB) - 05/05 - 16h
  • Altino de Melo (PSTU) - 06/05 - 10h
  • Fernando Haddad (PT) - 06/05 - 16h

O que diz a pesquisa Datafolha

O ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad (PT) lidera a intenção de votos, com 29%. Em segundo lugar, está o ex-governador Márcio França (PSB), com 20%.

O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o atual governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), têm um empate técnico, com 10% e 6%, respectivamente.