PUBLICIDADE
Topo

Moro não descarta Presidência e reforça: 'Não serei candidato a deputado'

2.dez.2021 - Sergio Moro, em evento em Curitiba - Rodolfo Buhrer/Fotoarena/Estadão Conteúdo
2.dez.2021 - Sergio Moro, em evento em Curitiba Imagem: Rodolfo Buhrer/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

08/04/2022 15h23

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro (União Brasil) indicou mais uma vez que está disposto a disputar a corrida eleitoral para a Presidência da República. Moro, que era presidenciável quando estava no Podemos, reforçou que não irá concorrer como deputado federal.

"Deixei meu nome disponível [no União Brasil]. Não posso ir para um novo partido e dizer 'sou o candidato presidencial'. Mas meu nome está disponível para essa posição ou outra que eles entendam que possamos trabalhar, ou posso ser candidato de nada. O que já disse é que não serei candidato a deputado federal", falou em entrevista ao Atlantic Council.

Segundo o União Brasil de São Paulo, o convite feito a Moro foi para concorrer à vaga na Câmara dos Deputados ou, eventualmente, ao Senado. Em nota na semana passada, a sigla disse que, caso ele insista em se candidatar à Presidência da República, o partido irá impugnar a sua filiação.

Hoje, o ex-ministro afirmou que decidiu seguir para o União Brasil como um sacrifício para a terceira via —como foi chamada a tentativa de unir o eleitorado insatisfeito com o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Moro disse que é "difícil enfrentar a polarização de Lula e Bolsonaro, ainda mais se o centro está fragmentado, como estava", então, deu "um passo atrás" e procurou um "partido mais forte para enfrentar a polarização".

O ponto é que se não sacrificarmos para unir o centro, não vamos a lugar algum
Sergio Moro, em entrevista ao Atlantic Council

Pesquisas eleitorais

Apesar de não ter mais status de pré-candidato, o nome de Moro continua sendo considerado em algumas pesquisas de intenção de votos. Na última pesquisa eleitoral da Quaest/Genial, Lula liderou com 44% da preferência e Bolsonaro assumiu o segundo lugar, com 29%.

Com margem de erro de 2 pontos percentuais, o ex-ministro, com 6%, empatou com o ex-governador Ciro Gomes (PDT) e o deputado federal André Janones (Avante), com 5% e 3% respectivamente.

Entretanto, Moro se saiu melhor do que outros nomes da terceira via, como João Doria (PSDB), e a senadora Simone Tebet (MDB), que tiveram cada um 1%.

Nome unificado

Na quarta-feira (6), os presidentes dos partidos União Brasil, MDB, PSDB e Cidadania informaram que irão anunciar um nome único, em 18 de maio, para representar a terceira via nas eleições para a Presidência nas eleições deste ano.

Por enquanto os presidenciáveis desses partidos podem ser Moro, Tebet, e Doria. Apesar de o ex-governador de São Paulo ter sido definido como pré-candidato à Presidência de seu partido por prévias eleitorais no fim de 2021, forças do PSDB desejam que o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite represente a sigla nas urnas em outubro.