PUBLICIDADE
Topo

Julie Dorrico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ecoa Maloca: podcast busca aproximar indígenas da comunidade universitária

Ecoa Maloca - Montagem/Julie Dorrico
Ecoa Maloca Imagem: Montagem/Julie Dorrico
Julie Dorrico

Julie Dorrico é doutora em teoria da literatura na PUC-RS. Autora da obra "Eu sou macuxi e outras histórias" (Caos e Letras, 2019) que venceu o 1º Lugar no Concurso Tamoios de Novos Escritores Indígenas, promovido pelo Instituto UK'A e Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ, 2019). Descendente do povo macuxi (Roraima). Organizadora da Coleção Memórias Ancestrais, obras de autoria indígena, pela Editora Tekoha (2021). Este é um espaço-terreno para reflorestar simbolicamente a educação brasileira. Buscando fortalecer o uso da lei 11.645/2008 que tornou obrigatório o ensino das culturas e histórias afro e indígenas em todo currículo escolar, esta coluna busca compartilhar iniciativas, projetos e temas indígenas que possam fortalecer a educação étnico-racial no país.

23/06/2021 06h00

O podcast Ecoa Maloca é um projeto da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que busca criar canais de diálogo entre estudantes indígenas e a comunidade universitária não indígena.

Para quem não está familiarizado com o termo, podcast é um arquivo digital de áudio transmitido através da internet, com o objetivo de compartilhar as mais variadas informações e conteúdo. O registro do termo é atribuído ao jornalista inglês Ben Hammersley que escreveu um artigo cunhando o nome "podcast", no ano de 2004, para o jornal britânico The Guardian.

Além da busca pela aproximação dos indígenas com a comunidade universitária não indígena, o podcast também tem por objetivo distribuir conteúdos científicos no formato de áudio à população de São Gabriel da Cachoeira (AM), para que possam ter o acesso também a esse tipo de conhecimento no formato mais leve e de seus smartphones. Vale lembrar que muitos estudantes presentes na Unicamp hoje são oriundos dessa região.

Ecoa Maloca protagoniza a atuação de estudantes indígenas e com isso procura transformar o relacionamento entre comunidade universitária não indígena e estudantes indígenas no duplo aspecto: de um lado que os estudantes não indígenas possam refletir sobre o racismo, preconceito e discriminação sobre a comunidade universitária indígena que estuda na Unicamp; e, de outro, para que esse entrave seja superado a fim de que pautas como sustentabilidade e diversidade sinalizem a ciência que fazem os povos originários, assim, nesse diálogo espera-se que a sociedade universitária dominante reconheça a dignidade dos estudantes como pertencentes aos povos ancestrais, plurais e mantenedores da floresta em pé.

Além disso, os estudantes indígenas procuram divulgar ações e pesquisas da instituição sobre "bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável" com vistas a incentivar mais pesquisas no tema.

1 - Antonio Ccarpinetti/Unicamp/Reprodução - Antonio Ccarpinetti/Unicamp/Reprodução
Daniela Patrícia Villegas Barbosa faz da Rede Wayuri e do programa Ecoa Maloca
Imagem: Antonio Ccarpinetti/Unicamp/Reprodução

O podcast se preocupa com a capacitação dos estudantes indígenas à frente e constituindo o programa, bem como o engajamento da audiência para diferentes canais, por isso está aberta ao diálogo e colaboração com rádios comunitárias em São Gabriel da Cachoeira e experimentar a disseminação do podcast em outras plataformas como Spotify e redes sociais (Facebook e Whatsapp).

Quem executa o projeto é o Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) do Núcleo de Desenvolvimento da Criatividade (Nudecri), da Unicamp.

Atualmente, o podcast Ecoa Maloca conta com 8 episódios que versam sobre a temática indígena. O último episódio, intitulado "Abril Indígena 2021", teve a participação ilustre do escritor, historiador e ativista Edson Kayapó, professor da Licenciatura Intercultural Indígena do Instituto Federal da Bahia e da pós graduação em Relações Étnico-Raciais da Universidade Federal do Sul da Bahia, juntamente com estudantes do coletivo indígena da Unicamp. O episódio dividido em duas partes reflete sobre universidade, saberes indígenas, lutas, importância de não romantizar os povos indígenas, e sinaliza caminhos para uma educação inclusiva e antirracista. Para ouvir este episódio clique em: Episódios.

Para conhecer o site do podcast, o projeto e a equipe, acesse aqui: ECOA MALOCA PODCAST