PUBLICIDADE
Topo

#DaQuebradaProMundo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Dicas de um favelado para você morar na Alemanha

11.mar.2016 - Anualmente, durante a celebração da Oktoberfest, festa da cerveja que acontece na Alemanha durante os meses de setembro e outubro, a companhia aérea Lufthansa coloca suas comissárias de bordo no clima do evento - Reprodução/ Lufthansa
11.mar.2016 - Anualmente, durante a celebração da Oktoberfest, festa da cerveja que acontece na Alemanha durante os meses de setembro e outubro, a companhia aérea Lufthansa coloca suas comissárias de bordo no clima do evento Imagem: Reprodução/ Lufthansa
Alexandre Ribeiro

Alexandre Ribeiro, escritor, colorido, 22 anos. Autor do livro de poesia "Inflorescência" e do romance vencedor do prêmio ProAC Prosa "Reservado". Alexandre é morador da Favela da Torre em Diadema e por conta de uma bolsa de estudos está vivendo na Alemanha. A Coluna #DaQuebradaProMundo é um espaço de partilha, onde um favelado fala sobre o caminho das pedras sem trazer fórmulas secretas. Um espaço onde a realidade dura e o sonho esperançoso coexistem na busca do impulsionar.

18/06/2021 06h00

Salve, salve, quebrada! Se você já conhece a coluna #DaQuebradaProMundo aqui em Ecoa, provavelmente você já leu o texto de estreia, "Toda bolsa de estudos tem um pouco de quilombo", um texto bem poético e em tom de agradecimento aos heróis e heroínas da educação que me trouxeram até aqui. Entretanto, no texto de hoje eu gostaria de dar dicas mais práticas para todos vocês que sonham em algum momento ter uma experiência na Alemanha. Vamos nessa?

Como eu vim parar aqui? E como você pode também.

A minha história aconteceu de uma maneira não convencional, mas isso não quer dizer que a sua precisa ser assim também. Depois de conhecer a minha companheira (que é metade moçambicana e metade alemã) de férias na Bahia de Todos os Santos, vivemos um relacionamento à distância por três anos e isso me motivou completamente a buscar maneiras gratuitas de chegar na Alemanha. E foi assim que eu conheci uma organização no Brasil chamada AFS, que me concedeu a minha primeira bolsa, para o que irei explicar daqui a pouco, o programa BFD/FSJ.

Segundo definição da própria, "O AFS Intercultura Brasil é uma organização internacional, voluntária, não governamental e sem fins lucrativos, comprometida em oferecer oportunidades de Aprendizagem Intercultural para contribuir com as pessoas no desenvolvimento do conhecimento, das habilidades e do entendimento necessários para criar um mundo com mais justiça e paz." E aqui você pode dar uma olhada em todas as bolsas disponíveis pelo AFS.

No último ano os programas de bolsas internacionais foram reduzidos por motivos evidentes, porém agora estão começando a serem reativados. Por isso é importante que você sempre cheque as novidades para os nativos do nosso país.

Maneiras gratuitas de se chegar na Alemanha

As "trilhas principais" para se chegar na Alemanha atualmente são: via relacionamento estável, estudos, trabalho social ou profissões qualificadas. Como as questões de relacionamento e profissões são muito específicas, eu gostaria de me focar nas duas que tenho experiência.

Trabalho social

Antes da minha bolsa no Bard College Berlin, eu fui para a Alemanha graças à uma bolsa de um programa chamado FSJ (Freiwillige Soziales Jahr) que em português significa Ano de Trabalho Social Voluntário. Que aliás, é voluntário, mas te paga um salário de 400 euros + moradia. E o que são esses programas BDF e FSJ?

Ambos são programas de trabalho social voluntário (que são pagos, como citado acima). A diferença é que o Serviço Voluntário Federal (Bundesfreiwilligendienstes - BFD) é um programa pensado sem limite de idade, e tem poucas vagas, enquanto o FSJ foi feito para jovens até os 27 anos e é mais conhecido na Alemanha.

Aqui tem um material completo do programa em inglês caso você se interesse.

E caso você consiga falar um pouquinho de alemão (dá pra ir de tradutor também), tem este site onde você pode encontrar vagas por cidades e CEPS.

O outro programa, o Ano Voluntário Social (Freiwilliges Soziales Jahr - FSJ) é focado em apoiar jardins de infância, instituições culturais e educacionais, associações esportivas, hospitais ou asilos para pessoas não autossuficientes. É uma boa preparação para profissões em setores sociais. Quem tiver interesse pela natureza, pela proteção do meio-ambiente e pela agricultura pode fazer um Ano Voluntário Ecológico (Freiwilliges Ökologisches Jahr - FÖJ).

Basicamente os programas são os mesmos. São serviços sociais que foram implementados na Alemanha depois que o serviço militar deixou de ser obrigatório, e também atrai jovens do mundo todo por ser um projeto fomentado pelo governo. E os pré-requisitos são simples:

- Nível de alemão A2 (básico 2, não precisa de certificado)

E você pode aprender alemão do A1 até o B2 de maneira gratuita com a Deutsche Welle

- Ensino médio concluído

- Ter um passaporte válido

Aliás, existe a possibilidade de que você se aplique diretamente para empresas. Como eu fui um voluntário na HHO (Heilpädagogische Hilfe Osnabrück), se você tiver interesse de que eu faça uma ponte entre você e a empresa para uma aplicação direta ao programa, pode me escrever no Instagram @daquebradapromundo

A realidade de um estudante na Alemanha

É muito necessário lembrar dos recortes sociais e raciais para que a gente possa ultrapassar as barreiras da burocracia. Por exemplo, é muito importante ressaltar que a Alemanha é um país muito liberal no discurso, mas, entretanto, a burocracia é a que mais representa as políticas publicas do país.

A maioria das universidades alemãs custam pouquíssimo, mas se você quiser estudar no país - sem uma bolsa de estudos, ou sem algum responsável financeiro por você no país estrangeiro - é um pré-requisito mandatório que você tenha uma conta com o valor de ?10.000,00 (atualmente equivalente à R$61.353,21) para que você possa obter um visto de estudante. É o que eu gosto de definir como a "política pública do bom estrangeiro", que através dessa barreira financeira impede que muitos jovens de países em desenvolvimento possam estudar no país.

Portais de oportunidade

Tentam nos colocar para baixo e destruir os nossos sonhos, enquanto nós nos damos as mãos e construímos pontes para futuros possíveis. Como diria o poeta Pedro Paulo Soares Pereira "a vida é sofrida, mas não vou chorar".

Enxergo que a minha pequena história - um moleque que saiu da Favela da Torre em Diadema e foi parar em Berlin - se constitui de mudanças sociais concretas. Eu fiquei sabendo da bolsa de estudos no Bard College Berlin através do portal DAAD. E exatamente por isso gostaria de finalizar essas dicas práticas com links onde você pode se informar mais caso queiram seguir uma vida acadêmica na Alemanha.

- Bolsas de estudos pelo DAAD (Deutscher Akademischer Austauschdienst), o Portal do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico.

- Aprenda alemão do A1 até o B2 de maneira gratuita com a Deutsche Welle.

- E, para fechar, temos aqui uma lista que foi atualizada no dia 07/06/2021 e está muito completa com uma relação de bolsas de estudo, de trabalho social e de pesquisa na Alemanha. Boa sorte!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL