PUBLICIDADE
Topo

Novo Porsche 911 GT3 chega ao País mais potente e aposta em exclusividade

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

16/02/2021 10h09

A Porsche revelou a nova geração do 911 GT3, versão de rua do 911 de competição. E o modelo já tem data para desembarcar no País: chega às lojas no segundo semestre de 2021. O modelo dessa vez usa mais tecnologia herdada diretamente da versão de competição, o 911 RSR que disputa provas como a 24 Horas de Le Mans.

A parte mais importante do 911 GT3, claro, é o motor. Ele usa o seis cilindros boxer (cilindros deitados, como no Fusca) de 4 litros, aspirado, que rende 510 cv a 8.400 rpm e 47,9 mkgf a 6.100 rpm. É um aumento de 10 cv e 1 mkgf em relação à geração anterior do esportivo. Vale reforçar que este é o único 911 com motor aspirado na atual geração, todos os demais usam motor seis cilindros turbo.

Além da alegria de um motor aspirado para os puristas, o 911 GT3 traz duas opções de câmbio: o manual de seis marchas ou para quem quer esportividade com conforto, o automatizado de dupla embreagem e sete marchas, chamado de PDK. Com a transmissão manual, o 911 GT3 acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos e atinge a velocidade máxima de 320 km/h. Com o PDK, a máxima fica em 318 km/h, mas a aceleração da imobilidade aos 100 km/h é feita em 3,4 segundos. A tração é sempre traseira.

Do modelo de pista, o 911 GT3 recebeu também outros itens, além do motor. Entre eles a suspensão dianteira independente do tipo Duplo A do 911 RSR. É a primeira vez que esse item sai do esportivo de pista para o de rua. A vantagem, segundo a Porsche, é reduzir o estresse exercido nos amortecedores e oferecer mais rigidez na cambagem.

No eixo traseiro, o sistema de rodas direcionais, que deixa o carro mais ágil em trechos fechados, e a suspensão multilink, foram melhorados. Novos amortecedores e pontos de fixação para a seção inferior dos braços de suspensão. O giro máximo das rodas traseiras é de até 2 graus.

Como potência não é nada sem controle, o Porsche 911 GT3 ganhou discos de freio maiores. Saem os de 380 mm e entram novos de 408 mm, que são maiores inclusive do que os da geração anterior do GT3, enquanto pesam 17% menos. De acordo com a Porsche, junto com as rodas de liga-leve forjadas, eles reduzem a rotação das massas, ajudando a manter o equilíbrio do carro.

Além dos discos de freio e rodas, para reduzir o peso total, a Porsche fez uma série de mudanças no novo GT3. O conjunto compõe vidros mais leves, sistema de escapamento de aço inoxidável e bateria de fosfato de ferro-lítio (LiFePO4) que é 10 kg mais leve que a convencional utilizada.

Mais fibra de carbono

Para um nível alto de rigidez estrutural, a Porsche aumentou o nível de plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP). O material composto é mais leve, mas consegue entregar a mesma capacidade de rigidez que usar diferentes tipos de metal. A Porsche não divulga a porcentagem utilizada, mas afirma que o spoiler traseiro, toda a estrutura do monobloco, para-lamas e o capô, que é o primeiro de fibra de carbono que atende as regras de proteção a pedestres em caso de acidente. Esse teste faz parte da regulação de segurança dos modelos na União Europeia e também nos EUA.

A parte de aerodinâmica do novo 911 GT3 está mais refinada. Como no carro de competição diversos componentes são ajustáveis manualmente agora, entre eles o enorme aerofólio de fibra de carbono na traseira e o spoiler no para-choque dianteiro. São até quatro ajustes disponíveis. Como no 911 Turbo S, ele aposta também em uma carroceria mais larga, especialmente na seção dos para-lamas traseiros, para receber as rodas com uma tala maior.

A Porsche divulga que o aumento de pressão aerodinâmica total do veículo foi de 50% em relação ao antecessor, isso tomando como base o ajuste de fábrica dos componentes. Na posição "Performance", que é totalmente focada ao desempenho de um uso em pista, o número pode chegar a 150% a uma velocidade de 200 km/h. É importante lembrar que a pressão aerodinâmica funciona em velocidades mais altas, para manter o carro estável e colado ao solo.

Como opcionais em um pacote batizado Clubsport, sem custo extra, o comprador pode ter no carro o santantônio instalado de fábrica atrás dos bancos, cinto de segurança de seis pontos para o motorista, extintor de incêndio de competição e um botão de emergência para cortar a corrente elétrica. Outro opcional são os pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 R, que tem um desempenho de pista, mas podem ser usados também na rua.

Interior

Como o GT3 é um carro de pista disfarçado de carro de rua, a Porsche não abriu mão dos mimos e questões de conforto. Apesar dos bancos esportivos de fibra de carbono, o 911 GT3 traz o painel de instrumentos virtual nas laterais do conta-giros analógico, a central multimídia com integração Apple CarPlay, o volante multifuncional e o acabamento requintado. O toque de esportividade fica pelo revestimento de alcântara no volante, assentos e porta-objetos central.

Exclusividade

Para os compradores do 911 GT3, a Porsche criou relógio cronógrafo de titânio produzido pela Porsche Design que acompanha o carro. O relógio tem um aro externo na mesma cor escolhida para o veículo. Além disso, os compradores podem usar o serviço de personalização da marca, o Exclusive Manufaktur, para adotar itens extras como o teto de fibra de carbono e os faróis Matrix de LEDs escurecidos, além, é claro, da cor, faixas e outros detalhes de acabamento.

Recorde em Nürburgring durante desenvolvimento

O carro completou os 20,8 km da pista de Nürburgring, na Alemanha, em 6:59.927. São 17 segundos mais rápido que a geração anterior, que fez o trecho de 20,6 km. A parte mais "assustadora" é que a empresa não precisou preparar um evento para tentar superar o recorde anterior. O tempo foi cravado durante o estágio final de validação da nova geração do GT3 nas mãos do piloto de testes usando os pneus opcionais da Michelin.