PUBLICIDADE
Topo

Procon-SP diz que Ford se comprometeu a não deixar faltar peças

Fábrica da Ford em Camaçari (BA) está parada desde o anúncio do fim da produção nacional de veículos - Divulgação
Fábrica da Ford em Camaçari (BA) está parada desde o anúncio do fim da produção nacional de veículos Imagem: Divulgação

Do UOL

Em São Paulo

04/02/2021 19h35

O Procon-SP se reuniu com representantes da Ford hoje por conta de relatos de falta de peças de reposição que já seriam consequência da decisão da montadora de encerrar a produção nacional de veículos. Após o encontro, a fundação de defesa do consumidor vinculada ao governo paulista afirmou que a Ford se comprometeu a não deixar faltar peças durante a vida útil de veículos adquiridos no país.

Os relatos de falta de peças foram noticiados pelo UOL na última sexta-feira (29), quando a reportagem teve acesso a uma correspondência enviada dois dias antes pela Abradif (Associação Brasileira dos Distribuidores Ford) a todos os revendedores da marca, relatando o problema.

Ontem, o Procon-SP enviou uma notificação para a Abradif, cobrando esclarecimentos em 24 horas sobre as reclamações de falta de peças. Hoje, a fundação de defesa do consumidor paulista teve uma reunião com a Ford para tratar da questão.

"A Ford, por meio dos seus representantes nesta reunião, assegurou ao Procon que não faltarão peças durante toda a vida útil de veículos que vierem a serem adquiridos por consumidores", disse Fernando Capez, diretor-executivo do Procon-SP.

Capez ainda antecipou que terá uma nova reunião com a montadora na próxima terça-feira (9).

"Esperamos ter ótimas novidades que tranquilizem os consumidores", afirmou.

Os relatos de falta de peças são atribuídos ao fato de as fábricas da Ford em Camaçari (BA) e Taubaté (SP) estarem paradas desde 11 de janeiro, quando a empresa anunciou o fim imediato da produção nacional. À época, a montadora anunciou que as fábricas no Brasil seguiriam ativas "por alguns meses para garantir disponibilidade dos estoques de pós-venda".

Após o anúncio, porém, a Ford até tentou convocar parte dos seus quadros para retomar as atividades, mas as entradas das unidades na Bahia e em São Paulo seguem bloqueadas desde então pelos sindicatos, que reivindicam a manutenção dos empregos e indenizações que consideram "justas.

Ford diz que tem 'estoque robusto'

Em resposta da Ford enviada à Abradif e obtida pelo UOL, a montadora nega que exista falta de peças de reposição no mercado.

O documento diz que "não existe o alegado desabastecimento do mercado de reposição por parte desta montadora, pelo contrário, já que a Ford possui um estoque robusto de peças, inclusive daquelas produzidas nas plantas de Taubaté e Camaçari, não havendo, portanto, nenhum problema de fornecimento de componentes que tenha alguma relação com o encerramento da produção de automóveis no Brasil".

A Ford acrescenta, ainda, que conta com cinco depósitos para fornecimento de peças, "uma das maiores capacidades de armazenamento da indústria no Brasil".

"Apesar da crise de abastecimento global ocasionada pela pandemia da Covid-19, que tem gerado problemas no fornecimento de insumos e na fabricação de componentes, não existe problema no fornecimento à rede de concessionários Ford", acrescenta o documento.