PUBLICIDADE
Topo

O drama familiar por trás do Ford Mustang com placa 'COV1D19' que viralizou

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

06/04/2020 15h44

No mês passado, a notícia de que um americano conseguiu instalar a placa com os caracteres COV1D19 em seu Ford Mustang 1986 viralizou. A referência explícita à doença causada pelo coronavírus, que se tornou uma pandemia e já matou milhares de pessoas no mundo, rendeu críticas de internautas.

UOL Carros conversou com Brandon Ciriello, dono do esportivo, para saber a motivação da brincadeira e a história por trás do carro, que ele batizou como "Vírus", após receber as novas placas. O mecânico de 25 anos, morador de Niles, no Estado de Ohio, nega que a intenção tenha sido "insultar" as pessoas afetadas de alguma forma pela doença.

Até porque ele mesmo tem enfrentado dificuldades causadas pela pandemia. Ciriello conta que tem dois empregos e, com a quarentena decretada em Ohio, a quantidade de clientes despencou.

"Trabalho em uma concessionária da Ford e também sou mecânico chefe em uma oficina de preparação. O trabalho está bastante escasso, o que é esperado com a recomendação para todos ficarem em casa. Todos estamos dando nosso melhor para pagar as contas e colocar comida na mesa", relata o mecânico, que não tem filhos.

Foto do registro provisório da placa postada nas redes sociais acabou viralizando em todo o mundo - Arquivo pessoal
Foto do registro provisório da placa postada nas redes sociais acabou viralizando em todo o mundo
Imagem: Arquivo pessoal

De acordo com Ciriello, o Mustang é um projeto iniciado há cerca de dois anos, com a intenção de prepará-lo para corridas de arrancada, muito tradicionais nos Estados Unidos. O esportivo acabou servindo de alento para compensar o drama familiar vivido pelo mecânico.

"Durante os dois últimos anos, perdi meus dois avôs e minha mãe foi diagnosticada com câncer de mama. Isso deixou toda minha família devastada. Ver minha mãe encarando quimioterapia, radioterapia e cirurgia me deixou em severo estado de depressão. Foi onde o carro me salvou. O projeto me deixou ocupado e produtivo, evitando que ficasse em pânico", contextualiza.

Como surgiu a ideia da placa

Brandon Ciriello com a noiva; avós do mecânico faleceram e mãe enfrenta um câncer de mama - Arquivo pessoal
Brandon Ciriello com a noiva; avós do mecânico faleceram e mãe enfrenta um câncer de mama
Imagem: Arquivo pessoal

Brandon Ciriello afirma que a placa COV1D19 segue a mesma linha de aliviar a tensão com as dificuldades da vida. Ele teve a ideia sentado em um bar na companhia de um amigo, "bem antes de a merda ir para o ventilador", em referência ao agravamento da crise causada pelo coronavírus.

"Pesquisei no site do Departamento de Veículos a Motor de Ohio e vi que a sequência de letras e números que eu queria estava disponível. Na manhã seguinte, fui até o posto de atendimento e fiz o pedido. Todos os funcionários riram muito e disseram que torciam para eu conseguir", relata.

Ciriello acabou tendo sucesso. Ao receber o registro provisório, postou a foto do documento juntamente com o carro e uma garrafa de cerveja Corona. "Viralizou e isso até agora me deixa impressionado. Muitos me criticaram, mas, honestamente, todos nós precisamos neste momento de uma boa risada".

"Sem dúvida, a situação hoje é assustadora, o mundo todo está em pânico. Meu coração está com todos que foram afetados por esse terrível vírus. Não quero que as pessoas tomem a minha placa e o meu carro como um insulto. Quero que eles sejam como um memorial. Eu tenho visto o que uma doença terrível faz com uma pessoa, tenho passado meses entrando e saído de hospitais. Acreditem, eu compreendo", justifica-se.

Corridas de arrancada

Mustang comprado há 2 anos não tinha motor nem câmbio; Ciriello já gastou US$ 15 mil no projeto - Arquivo pessoal
Mustang comprado há 2 anos não tinha motor nem câmbio; Ciriello já gastou US$ 15 mil no projeto
Imagem: Arquivo pessoal

Em relação ao Mustang, o mecânico comprou o cupê sem motor e transmissão. Nos últimos dois anos, ele diz ter gasto aproximadamente US$ 15 mil (R$ 78,7 mil no câmbio de hoje) no projeto, que já avançou bastante.

A preparação inclui itens como o motor 6.0 V8 LS da Chevrolet com cabeçote LS3 de alta performance, transmissão TH400, eixo traseiro da Ford e discos de freio "emprestados" de um Ford Thunderbird Turbo Coupe.

Atualmente, Ciriello está às voltas com a bomba de combustível, que perdeu pressão, e pretende instalar no ano que vem um kit de nitro para obter mais potência nas arrancadas.

"O carro nunca ficará pronto, irei sempre adicionar alguma coisa. Pretendo correr com ele quando tudo isso acabar em provas de 1/8 de milha [200 metros]".

Viu um carro camuflado ou em fase de testes? Mande para o nosso Instagram e veja sua foto ou vídeo publicados por UOL Carros! Você também pode ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito participando do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros.

Errata: o texto foi atualizado
O proprietário investiu US$ 15 mil e não US$ 75 mil no projeto do Mustang. A informação, que está no 11º parágrafo, já foi corrigida.