PUBLICIDADE
Topo

Mobilidade


BMW e Mercedes desistem de serviço de carsharing nos EUA

Car2Go é um dos serviços mais conhecidos de car sharing na Europa - Divulgação
Car2Go é um dos serviços mais conhecidos de car sharing na Europa
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

20/12/2019 13h17

Resumo da notícia

  • Joint-venture entre rivais alemãs foi formada para administrar serviços
  • Empresas atuavam em cidades como Montreal, Nova York e Washington
  • Falta de lucratividade foi decisiva na decisão, segundo Reuters

A Daimler e a BMW vão descontinuar o serviço de carsharing que mantinham na América do Norte. As empresas Share Now e Car2Go eram controladas por uma joint-venture criada pelas empresas e atuava em mercados como Montreal, Nova York, Seattle, Washington e Vancouver.

As empresas citaram "o estado volátil do cenário da mobilidade global" como motivo principal para a decisão. De acordo com informações da agência de notícias Reuters, os custos operacionais na América do Norte também pesaram na escolha.

Além disso, Share Now e Car2Go vão suspender suas atividades nas cidades de Florença (Itália), Londres (Inglaterra) e Bruxelas (Bélgica). As empresas vão concentrar esforços nas "cidades europeias nas quais acreditamos que existe grande potencial para crescimento nos lucros e inovação em mobilidade".

Em 2018, a Daimler adquiriu 25% das ações remanescentes da Car2Go, que até então pertenciam à Europcar. No ano passado, BMW e Daimler estabeleceram a fusão entre Car2Go e DriveNow, incluindo aí a operação conjunta dos serviços de transporte pessoal, estacionamento e recarga de veículos elétricos.

Até então, os clientes podiam alugar veículos por minuto e estacioná-los nas ruas ou em parquímetros de graça. Embora não atuassem nos mesmos segmentos, as empresas enfrentavam a dura concorrência de gigantes como Uber e Lyft, além dos serviços de aluguel de patinetes, bicicletas e scooters elétricos.

Em outubro, Car2Go e DriveNow encerraram suas operações em Denver, Austin, Portland, Calgary e Chicago.

As dificuldades enfrentadas por BMW e Daimler é mais um indício das dificuldades enfrentadas pelas empresas de mobilidade para tornar seus negócios rentáveis.

Em novembro, o CEO da BMW, Oliver Zipse, afirmou que estes serviços "são focados em áreas muito específicas com alta densidade populacional".

Mobilidade