Topo

Seu Automóvel


Seu Automóvel

Por que você nunca deve instalar rodas e pneus fora das medidas originais

Rodas e pneus enormes, formando conjunto com diâmetro diferente do original de fábrica, comprometem segurança - Lucas Lacaz Ruiz/Folha Imagem
Rodas e pneus enormes, formando conjunto com diâmetro diferente do original de fábrica, comprometem segurança Imagem: Lucas Lacaz Ruiz/Folha Imagem

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Conjunto formado por roda e pneu deve respeitar diâmetro origina
  • Desrespeito à regra pode render apreensão do veículo e multa
  • Alteração das especificações de fábrica compromete velocímetro
  • Prática também afeta ABS e controle de estabilidade

Dar aquela incrementada no carro após a compra é um hábito de muitos brasileiros. Uma das modificações mais frequentes é mexer nas rodas e nos pneus que vieram de fábrica, geralmente com a troca por unidades de maior diâmetro e largura. É verdade que um belo conjunto de rodas, com mais polegadas, ajuda bastante a dar um visual mais esportivo e diferenciado.

Porém, a prática pode render multa e retenção do veículo, além de comprometer a segurança, a durabilidade dos pneus e de outros componentes e até aumentar o consumo de combustível.

De acordo com Marco Fabrício Vieira, conselheiro do Cetran-SP (Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo) e ex-membro da Câmara Temática de Esforço Legal do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), a legislação de trânsito brasileira é clara: alterar o diâmetro original do conjunto formado pela roda e pelo pneu é proibido.

"De acordo com a Resolução 292 do Contran, está proibido o aumento ou a diminuição do diâmetro externo do conjunto pneu/roda, bem como o uso de rodas/pneus que ultrapassem os limites externos dos para-lamas", esclarece o especialista.

Além disso, alerta, o conjunto formado pelas rodas e pelos pneus não pode tocar em nenhuma parte do veículo durante o esterçamento.

"Conforme prevê o Artigo 230 do CTB [Código de Trânsito Brasileiro], conduzir o veículo com característica alterada, como é o caso das rodas, constitui infração grave, com cinco pontos no prontuário da CNH [Carteira Nacional de Habilitação], multa de R$ 195,23 e retenção do veículo até sua regularização", alerta Vieira.

A regra vale tanto para pneus e rodas maiores que os originais quanto para de menor diâmetro. O conselheiro do Cetran-SP destaca, ainda, que a multa vai sempre para o proprietário do veículo nesse caso e não para o condutor.

Risco à segurança e velocímetro impreciso

Veículos com Rodas e pneus com diâmetro maior ou menor que o original podem ser apreendidos - Avener Prado/Folhapress
Veículos com Rodas e pneus com diâmetro maior ou menor que o original podem ser apreendidos
Imagem: Avener Prado/Folhapress

Segundo Alessandro Rubio, membro da comissão técnica de Segurança Veicular da SAE Brasil, a legislação permite até trocar os pneus e as rodas, sempre com uma condição: manter o diâmetro externo do conjunto inalterado. "Se você colocar uma roda com aro maior, é necessário instalar um pneu com perfil mais baixo, de forma que o conjunto roda/pneu permaneça igual".

Rubio destaca que, independentemente da legislação, desobedecê-la traz problemas bem maiores do que as penalidades mencionadas acima. "As medidas originais das rodas e dos pneus foram homologadas pela montadora, com base em testes de segurança e dirigibilidade. Não respeitá-las traz risco aos ocupantes e uma série de consequências, como afetar a precisão do velocímetro.

O engenheiro explica que um conjunto de roda e pneu de maior diâmetro que o original gira menos vezes para percorrer determinada distância. Como isso, o medidor de velocidade, calibrado na fábrica para um diâmetro menor, acaba indicando velocidade inferior à real, o que pode fazer o motorista ultrapassar o limite estabelecido para aquela via sem saber - e acabar sendo multado por isso.

Os problemas não param aí. Mudar o diâmetro externo também pode elevar o consumo de combustível e afetar a operação do hodômetro, que mede a distância percorrida. Além disso, pode comprometer a eficiência do ABS e do controle de estabilidade, que também foram calibrados levando em conta as medidas de fábrica de determinado modelo de automóvel.

"Pneus que encostam no para-lama ou batem em componentes da suspensão ao esterçar o volante também têm desgaste irregular e sua vida útil pode ser reduzida", informa Rubio.

Por fim, instalar pneus e rodas fora das especificações indicadas no manual do veículo pode também fazer a montadora suspender a garantia do veículo. "Nunca vi isso acontecer, porém o manual do carro diz que alterar as características originais de rodagem pode levar a recusa a reparo em garantia", complementa.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Seu Automóvel