Topo

Testes e lançamentos


Volvo XC40 é primeiro carro elétrico da marca, que chega ao Brasil em 2021

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Los Angeles (Califórnia)

16/10/2019 14h04

Resumo da notícia

  • Autonomia do SUV é de até 400 quilômetros, segundo marca
  • Motor elétrico tem 413 cv e 67 kgfm de torque
  • Versão híbrida do XC40 também vem para cá, com estreia marcada para 2020

A Volvo entrou hoje no mercado de carros 100% elétricos com o XC40. A fabricante sueca, que já oferece versões híbridas para todos os modelos de seu catálogo, apresentou o seu primeiro veículo movido apenas com motor elétrico carregado por uma bateria de íons de lítio.

O SUV elétrico se chama XC40 Recharge. Segundo a Volvo, a palavra em inglês para "recarregar" será aproveitada em outros modelos híbridos ou elétricos da fabricante.

No lugar do motor, apenas um nicho suficiente para acomodar uma valise - Ricardo Ribeiro/UOL
No lugar do motor, apenas um nicho suficiente para acomodar uma valise
Imagem: Ricardo Ribeiro/UOL

"Construímos uma marca de segurança, queremos construir agora uma marca de sustentabilidade", afirmou Håkan Samuelsson, presidente mundial da Volvo.

O modelo utiliza a mesma plataforma do novo XC40 que já foi apresentado com sistemas a combustão e híbrido. Fabricado na Bélgica, o SUV elétrico começa a ser vendido na Europa e nos EUA a partir do ano que vem. A versão híbrida já é oferecida nestes mercados.

No Brasil, o XC40 Recharge chega apenas em 2021, sendo que o híbrido vem antes, no inicio do ano que vem.

Desempenho de esportivo

O motor elétrico do XC40 Recharge entregará 413 cv de potência e 67,3 kgfm de torque. Segundo a fabricante, o XC40 elétrico faz de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos.

A Volvo promete uma recarga de 80% da bateria em 40 minutos, nas estações de alta tensão. A autonomia é de até 400 km.

No XC40 elétrico, a grade dianteira é fechada por conta da menor necessidade de refrigeração, resultando em uma melhora no arrasto aerodinâmico. No lugar normalmente destinado ao motor fica um porta-malas de 31 litros adicionais na dianteira.

A plataforma, em comparação com as versões a combustão e híbrida, recebeu reforços estruturais visando a segurança, em função do peso adicional da bateria e da entrada de outro componentes do sistema elétrico de propulsão.

No mais, o visual é bastante semelhante à versão movida a combustão.

Multimídia em parceria com Google

Ao lado da propulsão elétrica, o multimídia do XC40 Recharge é outra grande novidade que deve chegar a outros modelos da linha da Volvo. O novo multimídia (que traz tela tátil horizontal com 9 polegadas) é o primeiro a ser desenvolvido por um fabricante de carro em conjunto com a Google, na base do Android. A Volvo promete um alto nível de personalização e usabilidade intuitiva.

Com isso, aplicativos como Google Assistant, Google Maps e Google Play Store estarão embutidos no sistema multimídia e haverá integração total com o Android Auto e os perfis dos clientes, adotadas nos seus celulares e computadores.

A integração permitirá também usar as funcionalidades do assistente de voz do Google para executar uma série de tarefas dentro do carro e acionar controles do veículo, assim como as atualizações em tempo real de informações de aplicativos como o Maps estarão disponíveis.

A parceria possibilitará ainda atualizações automáticas de software e do sistema operacional do veículo via internet.

Além da nova central multimídia, o XC40 Recharge tem ainda um painel digital com tela de 12 polegadas, que pode exibir até o mapa do navegador GPS.

O grupo Volvo possui a Polestar, uma marca apenas de elétricos, que conta hoje com dois modelos, um sedã e o SUV (Polestar 1 e Polestar 2). Contudo, o XC40 elétrico é o primeiro elétrico da marca.

Marca que zerar emissões até 2040

Com o lançamento do XC40 elétrico e a confirmação da eletrificação para os demais modelos da marca com a adoção do sobronome Recharge, a Volvo também anunciou metas de redução de emissões de CO2.

Até 2025, a marca planeja uma redução de 25% em seus processos de fabricação e outros 25% nas atividades de seus fornecedores. Nas emissões dos veículos, a meta é baixar 50% no total do portifólio. Isso reduziria a pegada de carbono de cada carro da marca em 40%, na comparação com 2018. Para 2040, a Volvo ambicona ter uma operação 100% livre de carbono.

"Nós reconhecemos que precisamos fazer mais e não podemos fazer sozinhos. Atuamos em fatores que nós controlamos e estamos usando nossa influencia para atuar nos fatores que não controlamos. Estamos em contato com governos e companhias de energia e temos total apoio de nossos fornecedores. Eles reconhecem que os consumidores estão preocupados com o ambiente e que isso pode comprometer o seu negócio", explica Stuart Templar, diretor de sustentabilidadeda Volvo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Testes e lançamentos