Topo

Testes e lançamentos


Toyota se rende e novo Corolla 2020 terá Apple CarPlay e Android Auto

Painel do Toyota Corolla será basicamente idêntico ao da versão europeia - Ricardo Ribeiro/UOL
Painel do Toyota Corolla será basicamente idêntico ao da versão europeia
Imagem: Ricardo Ribeiro/UOL

Jorge Moraes

Colaboração para o UOL

06/08/2019 07h00

Demos em primeira mão a data da chegada às concessionárias do novo Toyota Corolla 2020. Agora a novidade é que o modelo mais completo e híbrido do sedã terá um painel com nova central multimídia flutuante, como você conhece no Fiat Argo, por exemplo, ou até mesmo nos carros da Audi.

A tela vai ser bem diferente da atual, fixada no centro do painel. A função de maior utilidade do equipamento será o uso dos apps CarPlay e Android Auto.

Finalmente os japoneses do Brasil convenceram a matriz no Japão de que não adianta remar contra a onda da tecnologia. Já havia se equivocado no RAV4, pois o novo SUV híbrido ficou devendo nessa questão, mas que deverá ser atualizada no começo do próximo ano.

A Toyota entende que nessa corrida silenciosa, pela busca dos dados e das informações fornecidas gratuitamente pelos clientes, Apple e Google saem na frente e flertam com "nossos caminhos" o tempo todo. E isso já acontece com os smartphones.

Em junho, durante a descoberta da nova geração do Hyundai HB20, na Coreia do Sul, a montadora declarou que não tem planos de usar plataformas associadas a Google, Amazon ou Apple para compartilhar dados sobre o carro e seus trajetos.

O vice-presidente do Laboratório de Pesquisa de Inteligência Artificial da Hyundai, Jeong Hee Kim, foi taxativo em afirmar que a montadora terá o seu próprio caminho e vai gerir por conta própria os dados dos motoristas de seus carros. Os sul-coreanos contarão na frente de todo mundo da tecnologia 5G, realidade local.

A Toyota está longe disso? Não sabemos ao certo, mas é fato que incomoda entregar a experiência do usuário ao "concorrente" diante da mobilidade. Um bom número de condutores utiliza o celular como ferramenta de trabalho ou fonte de entretenimento no trânsito. Uma perigosa realidade urbana amenizada por centrais inteligentes, que devem, no mínimo, espelhar os telefones.

Em 2018, o Ministério da Saúde indicou em pesquisa que um em cada cinco brasileiros admite utilizar o telefone enquanto dirige. Hoje, a infração que antes era grave passou a ser gravíssima e a multa é de R$ 293,47 pelo uso do aparelho, mesmo que você esteja parado no semáforo esperando o sinal abrir.

Mais Testes e lançamentos