PUBLICIDADE
Topo

Sindicato se reunirá com Ford nos EUA para discutir fechamento de fábrica

MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Alessandro Reis

Do UOL, de São Paulo

21/02/2019 17h46

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC anunciou hoje que irá se reunir nos próximos dias com a direção mundial da Ford, em Dearborn, Michigan, nos Estados Unidos, para discutir o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo, anunciado na última terça-feira (19). 

De acordo com o sindicato, a reunião foi solicitada à diretoria local da Ford e a data do encontro será definida em breve.

"Desde que fomos surpreendidos pela decisão de fechamento, todos os nossos esforços têm sido realizados focando a reversão desse processo e a manutenção da fábrica, com seus 4,2 mil trabalhadores, mais quase 25 mil na cadeia produtiva", disse, por meio de nota, Wagner Santana, o Wagnão, presidente do sindicato.

A entidade não foi convidada para a reunião realizada na manhã desta quinta entre João Doria, o governador de São Paulo, e a diretoria da Ford América do Sul, no Palácio dos Bandeirantes. Após o encontro, Doria anunciou que buscará um eventual comprador da fábrica, na tentativa de preservar os empregos.

No mesmo dia, Wagnão esteve reunido com Sophia Villela de Moraes e Silva, procuradora do MPT (Ministério Público do Trabalho) de São Bernardo do Campo, para discutir a situação dos trabalhadores. Na quarta-feira (20), o prefeito Orlando Morando abriu representação contra a Ford no mesmo órgão e, segundo ele, foi convocada reunião para as 14h da terça (26) para tratar da manutenção dos postos de trabalho. Em entrevista após o encontro na sede do governo paulista, Morando deixou claro que os empregos não estão garantidos.

"Fiz ontem (quarta) reunião com os três procuradores do MPT de São Bernardo do Campo, protocolei uma representação para que eles pudessem auxiliar. Está em andamento, tanto que na próxima terça-feira, às 14h, eles já convocaram a Ford, a Prefeitura e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para participarem dessa reunião. Não vou retirar minha representação, até porque ainda não se tem nenhuma garantia sobre a manutenção dos empregos", afirma o prefeito.

Por meio de nota, o MPT de São Bernardo confirma que "abriu procedimento para assegurar o respeito às convenções internacionais que tratam da dispensa" dos funcionários, segundos as quais está prevista a "nulidade de qualquer forma de dispensa coletiva de forma unilateral, sem a prévia negociação com o sindicato profissional". O Ministério Público do Trabalho acrescenta que vai adotar "todas as medidas para propiciar a busca de meios alternativos às demissões em massa, bem como o direito à informação, transparência e participação dos trabalhadores, inclusive por meio da representação profissional".

Por orientação do sindicato, os funcionários deixaram seus postos logo após o anúncio do fechamento e retornam somente na próxima terça, quando haverá assembleia às 6h30, em frente à portaria da montadora. "Não tinha clima para ninguém voltar ao trabalho, até por uma questão de segurança. Estamos fazendo nossas articulações e avaliando de que forma se dará nossa mobilização e nossa resistência. Mas ela haverá e será dura", explicou Wagnão.

Até a publicação desta reportagem, a Ford ainda não tinha se manifestado a respeito da reunião do sindicato com a direção global da montadora.