PUBLICIDADE
Topo

Volkswagen e BMW ganham mais espaço na China; JAC e Brilliance perdem

SOL E20X, crossover elétrico feito pela VW e JAC: alemães farão centro de P&D e carregadores na China para ter maior controle - Reprodução
SOL E20X, crossover elétrico feito pela VW e JAC: alemães farão centro de P&D e carregadores na China para ter maior controle
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo (SP)

20/07/2018 12h08

Governos da China e da Alemanha assinam acordos que beneficiam marcas europeias no maior mercado do mundo

Fabricantes de carros globais, europeias principalmente, estão perto de ganhar um incentivo gigante do governo chinês: a obtenção do controle acionário (que permitiria também o controle de fato) de suas alianças no mercado chinês. Volkswagen e BMW podem ser as primeiras beneficiadas neste tipo de movimento, aponta a agência "Automotive News China", graças a acordo entre os governos da China e da Alemanha.

Fabricantes estrangeiras podem se estabelecer na China apenas sob a forma de alianças comerciais (joint ventures) controladas por empresas chinesas e que, de acordo com a análise e decisão do governo chinês, ainda podem incluir repasse parcial de tecnologia. Esse acordo atual pode quebrar essa subordinação forçada.

Até então, a China tinha dado pequenas brechas conforma sua conveniência, por exemplo, acordos mais "liberais" com Chevrolet e Audi (dentre outras marcas) no fornecimento específico de carros para seções governamentais. O governo chinês espera que o movimento atraia mais investimento estrangeiro para sustentar seu crescimento econômico -- e, de quebra, anule as ameaças de guerra comercial do presidente americano Donald Trump.

A gente lembra que a China é o maior mercado global de automóveis e que já representa a principal fonte de lucro para diversas fabricantes. Este ano, a venda de carros no mercado chinês deve crescer 4,6%, podendo chegar a 12 milhões de novas unidades.

Veja mais

VW T-Cross brasileiro será melhor que europeu? Veja
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe
Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

"Sob nova direção"

Acordos firmados em 9 de julho entre o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, e a chanceler alemã, Angela Merkel, permitem que a BMW expanda a produção anual de sua aliança chinesa BMW Brilliance Automotive para 520.000 veículos, em 2019, com um detalhe: a Brilliance perde força e a BMW passa a ter mais 50% das ações, sendo que o controle da empresa fica igualmente dividido. Nada impede que novos avanços sejam permitidos à BMW no futuro.

Também nessa rodada de acordos, a Volkswagen se comprometeu em investir mais em suas alianças na China. Assim, deve construir um centro de pesquisa e desenvolvimento para a empresa de elétricos Sol, feita em aliança com a JAC, bem como criar uma estrutura de recarga de elétricos e serviços de conectividade pelo país.

Assim, a VW passa a contar com 50% da aliança com a JAC. E o governo chinês ainda se comprometeu a revisar a aliança FAW-Volkswagen Automotive (que fabrica modelos como Polo, Golf Jetta (Sagitar), além dos carros da Audi. Atualmente, a chinesa FAW detém 60% do controle acionário.

BMW Série 1 Sedan - Divulgação - Divulgação
BMW com mais controle na aliança com a Brilliance é outro efeito do acordo
Imagem: Divulgação