PUBLICIDADE
Topo

Primeira Classe

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Audi Q3 Prestige: vale a pena comprar o SUV de luxo mais barato do Brasil?

Audi Q3 Prestige - Rafaela Borges/UOL
Audi Q3 Prestige Imagem: Rafaela Borges/UOL
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

14/05/2021 12h56

Os preços dos SUVs compactos de luxo vêm chamando a atenção nos últimos tempos, especialmente depois de a Mercedes-Benz lançar o GLA em versão única, com motor 1.3 turbo, por R$ 325 mil. O Volvo XC40, por ter agora a linha inteira híbrida, tem tabela inicial de R$ 259.990. O BMW X1 custa entre R$ 256.950 e R$ 294.950.

Com o dólar disparando, os preços também foram às alturas. Para se ter ideia, o XC40 R-Design híbrido chegou em junho ao mercado nacional por R$ 245.950. Agora, o topo de linha sai por R$ 291.950.

Atualmente, a média inicial dos SUVs compactos de luxo é de R$ 255 mil. Isso sem considerar o Q3, que destoa dessa realidade. A versão Prestige tem preço de R$ 228.990 na linha 2021/2021. Os exemplares 2020 mantêm o preço de lançamento, de R$ 200 mil, mas já são raros nas concessionárias.

Mas, afinal, o que dá essa vantagem de preço ao Q3 Prestige? O que ele tem a menos que os demais modelos da linha? A versão Prestige Plus sai por R$ 243.990 (também um valor competitivo comparado ao da concorrência), ante os R$ 264.990 do Black e R$ 274.990 do Black S Line.

Como a maior parte das marcas, a Audi trabalha com a versão de topo para divulgação. É difícil ver detalhes do Q3 Prestige em reportagens e vídeos. Mas fui a uma concessionária conhecer a opção de entrada de perto e contar o que ela tem - e não tem.

Exterior do Audi Q3 Prestige

Mecanicamente, o Q3 Prestige é o mesmo. Todas as versões do SUV vêm com motor 1.4 turbo de 150 cv e câmbio automático de seis marchas e duas embreagens. A tração é dianteira e as suspensões, independentes.

Q3 Prestige traseira  - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Externamente, apenas os muito observadores vão perceber que o Q3 Prestige é uma versão de entrada. As rodas têm 16", ante as 17" da versão imediatamente acima, a Prestige Plus. Na linha de cintura, há borracha preta.

Na Prestige Plus, esse material é cromado e na Black, tem combinação de alumínio e Black Piano. Essas duas versões têm faróis full-LEDs. Os da de entrada têm apenas detalhes de LEDs.

Nas lanternas, as luzes da seta de direção são normais. Já nas demais versões, elas correm, uma assinatura típica de modelos mais caros da Audi. O porta-malas tem os mesmos 530 litros das outras opções do Q3, mas a abertura não é elétrica.

Além disso, o teto solar não está disponível no Q3 Prestige. Esse item é um opcional a partir da versão Prestige Plus.

Por dentro da versão mais simples do Q3

É por dentro que estão as principais diferenças do carro, e as características que realmente podem comprometer a comodidade no dia a dia - dependendo do estilo de vida do proprietário. O ar-condicionado é automático com uma zona de temperatura, e não digital, com duas, como nos demais.

Audi Q3 Prestige interior - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Isso não seria um grande problema. Porém, não há saída para os passageiros de trás, algo que ocorre só a partir da versão Prestige Plus. A partida não é por botão. É preciso colocar a chave no miolo da ignição. Até por isso, não há abertura das portas por aproximação.

O painel é digital como o dos demais Q3. Porém, não é possível colocar as informações do centro em destaque - essa opção é sempre ocupada pelo velocímetro e o conta-giros. Já a central multimídia é idêntica, com as mesmas funções, tamanho de tela e usabilidade.

Também não muda o acabamento interno, muito bem feito. Tem materiais como couro, alumínio e Black Piano. Os ajustes do banco do motorista são elétricos.

Vale ou não vale?

Atualmente você não vai encontrar nenhum SUV de luxo com o preço do Q3 Prestige. Então, dependendo do seu estilo de vida, e se esse for o meio de realizar o sonho de entrar no universo das marcas de luxo, por que não?

Audi Q3 Prestige detalhe - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Não há saída de ar-condicionado para os passageiros de trás
Imagem: Rafaela Borges/UOL
Mas se itens de comodidade como porta-malas elétrico, chave presencial e saída de ar traseira forem essenciais, vale pagar um pouco mais na versão Prestige Plus, que tem tudo isso. São R$ 15 mil de diferença, o que não é muito para a categoria de veículos premium.

Além disso, o valor é totalmente justificável pelo pacote extra de tecnologia trás. A Prestige Plus, aliás, ainda é mais barata que as opções de entrada de todos os concorrentes.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL