PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

Peugeot e-208 GT tem o que queríamos ver no 208 a combustão

só para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

10/07/2022 04h00

Como todos sabem e já comentei por aqui, o grupo dos automóveis 100% elétricos vendidos no Brasil ainda é pequeno, mas o processo de popularização segue positivo graças aos novos modelos que seguem chegando. É o caso da versão elétrica do Peugeot 208, o e-208 GT, que nem é tão recente, já que foi lançado lá em setembro de 2021.

No visual é praticamente igual à versão a combustão e tira proveito disso, pois o desenho desse compacto é bonito e bem resolvido. As pequenas diferenças externas estão em detalhes como a grade com desenho específico e acabamento em preto brilhante, as rodas exclusivas e com desenho focado na aerodinâmica, molduras plásticas nas rodas em preto brilhante também, mais a letrinha "e" nas colunas traseiras indicando que se trata da versão elétrica, e o nome estampado na tampa do porta-malas.

E tem a frente invocada do 208 ainda mais chamativa com os faróis full led e o DRL com desenho que imita os dentes de sabre, como acontece com as versões superiores do modelo à combustão.

e-208 GT - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Grade e caixas de rodas têm acabamento em preto brilhante
Imagem: Matheus Simanovicius

Do lado de dentro, de novo, é o mesmo 208 que conhecemos, porém, com uma dose maior de refinamento. Traz mais superfícies emborrachadas, muitos detalhes com costura pespontada na cor da carroceria, tela do multimídia um pouco maior, com 10 polegadas.

Nele há um espaço com alguns comandos que são acionados por toque e que ficam acima dos botões que parecem um teclado de piano, outro ponto já conhecido dele, assim como o painel de instrumentos 100% digital e com efeito "3D'. Elegante ainda é o console central com a alavanca de câmbio tipo joystick, a mesma do imponente SUV 3008.

e-208 GT - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Letra "e" em tom azul nas colunas traseiras confirma que se trata da versão elétrica
Imagem: Matheus Simanovicius

Agora, pra mim, o que fecha bem a conta dentro do 208 elétrico, é o já conhecido projeto i-cockpit, exclusividade da Peugeot, com o volante pequeno e que deve ser posicionado abaixo do painel de instrumentos para garantir uma boa ergonomia ao volante. Esse outro ponto forte dele e reforçado no e-208 GT pelos bancos esportivos com bons apoios laterais.

Como traz um pacote fechado e bem servido de equipamentos, merece atenção ainda pelo nível elevado de segurança. O e-208 GT traz como item de série o ADAS, pacote que reúne alguns recursos de direção semiautônoma, como controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão com frenagem automática e de saída de faixa - que atua corrigindo a trajetória - entre outros bastante modernos e importantes. Sem esquecer de outros mais esperados em um modelo desse nível, como os 06 airbags ou os freios a disco nas quatro rodas.

e-208 GT - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Lanternas de led são ligadas por barra escurecida
Imagem: Matheus Simanovicius

Propulsão elétrica é o que interessa

Como todos os automóveis com esse tipo de propulsão, o e-208 GT desperta a curiosidade sobre como é acelerar esse compacto elétrico. Afinal, ao falar em disposição de acelerar, logo lembramos da falta de disposição para arrancar rápido que o novo 208 à combustão tem desde o início.

O e-208 GT tem 136 cavalos de potência - o que não é nenhum número absurdo - mas está muito bem encaixado com o tamanho e a proposta desse carro. No entanto, o que é realmente importante: entrega 26,5 Kgfm de torque - disponível em qualquer situação - como um bom carro elétrico.

Pelos números oficiais, acelera de 0 a 100 km/h em 8,3 segundos, algo que dá muita satisfação e segurança para quem assume o volante, além de confirmar uma realidade bem diferente quando comparado com o 208 à combustão. Na prática, tem tudo aquilo que a gente gostaria de ver nesse modelo, ao menos em uma de suas versões.

Já a suspensão acompanha a proposta mais esportiva, por isso é um pouco rígida, e os pneus são de perfil mais baixo, do tipo run flat. Com essa configuração, pode até gerar um pouquinho de incômodo, mas longe de comprometer o conforto.

Para acelerar, oferece três modos de condução: o Eco, Normal e Sport. O primeiro prioriza a regeneração de energia assim que o motorista tira o pé do acelerador, freando o carro e limitando a velocidade. Já o Sport apimenta bem as respostas do motor e, lembre bem disso, acelera bastante o consumo de bateria. Tem o modo "B" na alavanca do câmbio, que explora o freio motor também para ajudar regeneração de energia.

e-208 GT - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Porta de carregamento fica na mesma posição do modelo à combustão
Imagem: Matheus Simanovicius

Atenção com recarga

A minha experiência durante uma semana utilizando o e-208 GT não foi muito positiva com a administração de autonomia e as paradas para recarga. O 208 elétrico tem baterias de 50 kwh e autonomia prevista de 340 Km. Só que, na prática, é preciso muita atenção com o consumo um tanto rápido de energia, mesmo tomando alguns cuidados "limitantes" para o conforto, como evitar o uso de ar-condicionado.

Depois, para quem se arrisca a utilizar a tomada simples de casa, precisa se organizar para ficar um dia com o carro parado carregando. Ou seja, o ideal é investir em um equipamento de carga rápida residencial - que não é barato - ou ficar muito esperto e se manter próximo de eletropostos de carga rápida enquanto utiliza o carro, condição em que é possível recarregar até 80% da bateria em 30 minutos, como informa a Peugeot.

e-208 GT - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Espaço no porta-malas não muda na versão elétrica: 265 litros
Imagem: Matheus Simanovicius

Nesse contexto o e-208 GT é um carro bem interessante, bonito, com ótima aerodinâmica e, como comentei antes, garante mais prazer e segurança na hora de acelerar com seu motor elétrico cheio de disposição. E, como todo 100% elétrico vendido no Brasil, tem preço bem elevado. De qualquer forma, também cumpre seu papel como divulgador da propulsão elétrica em nosso país e, naturalmente, passa a mensagem da Peugeot sobre o que ela tem e espera utilizar em seus carros no futuro.

Preço Peugeot e-208 GT: R$ 276.990