Mais de 70% das pessoas só descobriram diabetes após terem complicações

Nesta terça-feira (14), é celebrado o Dia Mundial do Diabetes, e uma pesquisa global da IDF (Federação Internacional de Diabetes, em português) aponta que 72% das pessoas que vivem com diabetes só receberam o diagnóstico porque tinham pelo menos uma das complicações relacionadas —como perda de visão, danos nos nervos ou doenças cardíacas.

Além disso, quase todos (94%) os entrevistados tiveram uma ou mais complicações durante a vida com diabetes.

As descobertas vêm de pesquisas globais realizadas recentemente pela IDF. O levantamento foi realizado entre pessoas que vivem com diabetes em África, Ásia, Europa e América do Sul para compreender o nível de sensibilização e o impacto das complicações relacionadas à doença.

As complicações relacionadas ao diabetes podem ser graves e, em alguns casos, fatais. Elas incluem danos ao coração, olhos, rins e pés.

O estresse também é constante: 55% dos entrevistados dizem que se preocupam na maioria dos dias com o desenvolvimento de complicações, cujo risco pode ser significativamente reduzido através da detecção precoce, adesão ao tratamento e autocuidado.

Quando questionados sobre a prevenção das complicações:

  • 84% acreditam que poderiam ter feito mais
  • 62% pensam que o seu prestador de cuidados de saúde poderia ter feito mais

"É preciso fazer mais para melhorar a conscientização sobre o diabetes e fornecer educação para apoiar a detecção precoce e o tratamento de complicações. O que aprendemos oferece um lembrete claro de que o diabetes muitas vezes passa despercebido até que uma ou mais complicações estejam presentes", comenta o khtar Hussain, presidente da IDF, em comunicado à imprensa.

Existem vários fatores de risco que aumentam o risco de desenvolver diabetes tipo 2: histórico familiar, peso, idade, etnia, sedentarismo e diabetes durante a gravidez, alguns dos quais podem ser reduzidos através de hábitos alimentares saudáveis e atividade física.

Continua após a publicidade

O diabetes tipo 2, que representa mais de 90% dos casos, muitas vezes desenvolve-se silenciosamente, com sintomas que passam despercebidos. Como resultado, muitas pessoas com esta doença, mais de 50% em alguns países, não são diagnosticadas e, como sugere a investigação, as complicações já estão presentes.

As complicações mais comuns entre os entrevistados foram problemas nos olhos (46%), nos pés (38%) e na saúde bucal (37%).

A IDF tem um teste que ajuda a detectar o seu risco de desenvolver diabetes tipo 2:
https://worlddiabetesday.org/type-2-diabetes-risk-assessment/po/.

Caso o seu resultado esteja alto, procure um médico.

A pesquisa encomendada pela IDF foi feita pela Arlington Research, uma agência independente de pesquisa de mercado, de forma online e global com 700 adultos que vivem com diabetes em todo o mundo, incluindo Espanha, Brasil, México, Paquistão, Índia, China e Nigéria.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes