PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Rosuvastatina: junto à dieta e exercícios, ela reduz o nível de colesterol

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

26/04/2022 04h00

Resumo da notícia

  • A rosuvastatina é um medicamento da classe das estatinas usado para controle do colesterol
  • Considerada segura e bem tolerada, pode ter como efeito colateral raro o diabetes
  • Há alguma evidência de que tomá-la à noite é o ideal, dada a maior síntese do colesterol
  • O fármaco tem indicação para crianças, adolescentes, adultos e idosos

Aprovada para uso clínico desde 2003, a rosuvastatina é um medicamento utilizado para auxiliar no controle do colesterol, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares como infarto e AVC (Acidente Vascular Cerebral).

O que é a rosuvastatina?

Trata-se de um medicamento da classe das estatinas —um tipo de fármaco capaz de reduzir as taxas de colesterol ruim (LDL), que é sua principal indicação.

Dadas as características desse fármaco, ele só deve ser utilizado mediante prescrição médica.

Em quais situações ela deve ser usada?

Dada a utilização desse fármaco há quase 20 anos, ele é considerado seguro e eficaz. Contudo, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e pelo tempo determinado pelo seu médico.

A rosuvastatina tem como principal ação a redução do colesterol (lipídios) e, por isso, pode ser indicada como parte de um tratamento que deve incluir dieta e exercícios, nas seguintes situações:

  • Hipercolesterolemia primária (familiar heterozigótica e não familiar)
  • Níveis elevados e anormais de lipídios [gordura] (dislipidemia mista)
  • Altas taxas de triglicérides
  • Redução do colesterol total
  • Retardamento ou prevenção da progressão do acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos (aterosclerose)

A literatura sobre este medicamento revela que o fármaco também é utilizado no tratamento do AVC não embólico, como prevenção secundária do AIT (Ataque Isquêmico Transitório) e em cuidados pré-operatórios como protetor cardíaco em procedimentos não cardiológicos. Como esses usos não constam da bula, eles são definidos como off label.

Entenda como a rosuvastatina funciona

A rosuvastatina possui boa farmacocinética, ou seja, ao ser administrada pela via oral, ela é rapidamente absorvida, é pouco metabolizada —o que reduz o risco de interações com outros medicamentos— e, depois, é eliminada por meio das fezes.

Quanto à farmacodinâmica, ou mecanismo de ação, o fármaco atua reduzindo os lipídios por meio da inibição de uma enzima chamada HMG-CoA redutase, envolvida na produção (biossíntese) do colesterol, o que, consequentemente, reduz a concentração de diversos compostos, incluindo o colesterol total (C-LDL e C-VLDL). As explicações são de Flávio da Silva Emery, professor associado da FCFRP-USP.

Quais os principais remédios com rosuvastatina?

A marca de referência da rosuvastatina é o Crestor®. Mas você pode encontrar as versões genéricas.
Confira as apresentações e doses disponíveis:

  • Comprimidos revestidos - 5 mg, 10 mg, 20 mg e 40 mg.

Na maioria das vezes, esse medicamento é de uso contínuo e jamais deve ser utilizado sem acompanhamento médico. A razão para isso é que cabe ao profissional da saúde a identificação e tratamento precoces de eventuais efeitos colaterais decorrentes do uso do medicamento.

Quais são as vantagens e as desvantagens da rosuvastatina?

Na opinião de Brivaldo Markman Filho, professor titular de cardiologia da UFPE, a maior vantagem dessa medicação é que, para além do efeito esperado da redução do colesterol, ela também confere ao paciente uma proteção cardiovascular.

"Esses fármacos estabilizam as paredes dos vasos, as placas de gorduras, diminuem o risco de rompimentos, assim eventos isquêmicos agudos tanto no coração como no sistema nervoso (infarto e AVC), o que é extremamente benéfico", acrescenta o especialista.

Como desvantagem, Markman Filho destaca alguns efeitos colaterais mínimos, como dores musculares e cãibras (que podem acometer de 5% a 10% das pessoas), e a possível elevação de enzimas hepáticas. Contudo, o cardiologista afirma que tais quadros raramente levam à suspensão do tratamento.

Saiba quais são as contraindicações

A rosuvastatina não pode ser usada por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham conhecimento de que alguém da família tenha tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente de sua fórmula.

Fique também atento à presença das seguintes condições:

  • Gravidez
  • Amamentação
  • Doença ativa do fígado
  • Aumento persistente e inexplicável dos níveis de transaminases (enzimas encontradas no fígado)
  • Doenças do pulmão
  • Problemas musculares (como a fibromialgia)
  • Doenças renais ou da tireoide
  • Hipotensão (pressão baixa)
  • Convulsões (no presente ou no passado)
  • Ter idade superior a 65 anos

Crianças e idosos podem usá-la?

A maioria das crianças com idade superior a 6 anos e adolescentes até os 17 anos (com hipercolesterolemia familiar heterozigótica), bem como os idosos, podem usar esse medicamento, com as devidas adequações de dosagens para cada faixa etária.

Entre pessoas com idade superior a 65 anos, porém, é preciso estar atento a doenças preexistentes e o uso de outros medicamentos que poderiam interagir com a rosuvastatina, seja potencializando ou reduzindo o seu efeito.

Estou grávida e pretendo amamentar. Posso usar rosuvastatina?

O medicamento é contraindicado para grávidas e pessoas que estejam amamentando e, caso você faça uso desse fármaco e esteja planejando engravidar, é preciso informar a seu médico para que ele possa avaliar a possibilidade de mudança do tratamento.

Atualmente, está sendo revista a contraindicação de toda a classe de estatinas para mulheres grávidas por autoridades sanitárias internacionais. O que se discute é que pacientes de alto risco poderiam ser beneficiadas pela medicação, e caberia ao médico avaliar os riscos e benefícios da continuidade ou não da terapia nesses casos.

Até que se resolva esta questão, permanece vigente a recomendação de contraindicação para grávidas e lactantes.

Qual é a melhor forma de consumi-la?

A orientação é que ela seja ingerida com água. Como a rosuvastatina não causa mal-estar estomacal, pode ser tomada com ou sem alimentos.

Existe uma melhor hora do dia para usar esse medicamento?

"Alguns estudos científicos concluíram que usar as estatinas à noite, momento no qual há maior síntese do colesterol, pode ser benéfico, dado o menor consumo de alimentos no período", fala Amouni Mourad, farmacêutica e assessora técnica do CRF-SP.

Apesar disso, você deve utilizar a rosuvastatina na forma indicada pelo médico, e sempre no mesmo horário.

O que faço quando esquecer de tomar o remédio?

Tome-o assim que lembrar e reinicie o esquema de uso do medicamento. É desaconselhado tomar doses em dobro de uma vez para compensar a dose que foi esquecida. Se você sempre se esquece de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Este medicamento é considerado bem tolerado, seguro e eficaz quando utilizado de acordo com as orientações médicas.

Apesar disso, algumas pessoas poderão observar as seguintes manifestações, consideradas comuns: dor de cabeça, tontura, náuseas, constipação, cistite, dor nas juntas (artralgia) e fraqueza.

Veja outras possíveis manifestações:

  • Dor ou fraqueza muscular
  • Confusão
  • Alterações na memória
  • Febre
  • Dor no peito
  • Falta de energia

Interações medicamentosas

Algumas medicações não combinam com a rosuvastatina. E quando isso acontece, elas podem alterar ou reduzir seu efeito. Avise o médico, caso esteja fazendo uso (ou tenha feito uso recentemente) das substâncias abaixo descritas, que são exemplos de interação, mas não excluem outras que, eventualmente, possam ter o mesmo efeito. Confira:

  • Eritromicina (antibiótico)
  • Fenofibrato (usado para controle de triglicérides)
  • Genfibrozila (outro tipo de medicamento para combater o colesterol)
  • Clopidogrel, varfarina (anticoagulantes)
  • Ciclosporina (usado na psoríase e artrite reumatoide)
  • Colchicina (usa-se na terapia contra a gota)
  • Verapamil, amiodarona (utilizados nas arritmias)
  • Fluconazol (antifúngico)
  • Atazanavir combinado com ritonavir (antirretrovial indicado no tratamento do HIV)
  • Antiácidos (que contenham alginato de sódio, carbonato de cálcio e bicarbonato de sódio)

Entre os suplementos, a coenzima Q10 parece potencializar a rosuvastatina. Como as informações científicas sobre essa possível interação ainda não são conclusivas, é importante informar seu médico sobre o uso desse item (ou outros), e até mesmo de algum fitoterápico.

Posso ter diabetes usando esse medicamento?

Há alguma evidência científica de que o uso prolongado de qualquer fármaco da classe da rosuvastatina pode levar ao desenvolvimento de diabetes, o que também está relacionado à idade avançada, altas taxas de glicose e síndrome metabólica. O quadro pode se manifestar em 1 entre cada 10 pessoas.

Apesar disso, os especialistas garantem que o risco de vir a ter níveis de glicose aumentados, e mesmo o aparecimento do diabetes, são infinitamente menores quando comparados aos danos causados pelas altas taxas de colesterol.

Aliás, as estatinas são indicadas para pessoas com diabetes, consideradas integrantes do grupo de alto risco para eventos cardiovasculares.

A rosuvastatina corta o efeito do anticoncepcional?

Não, mas o medicamento pode potencializar os efeitos colaterais, já que ele poderia elevar a concentração no organismo dos hormônios nele contidos.

Existe interação com exames laboratoriais?

De acordo com o farmacologista Marcelo Polacow, presidente do CRF-SP, uma das características de todas as estatinas, incluída a rosuvastatina, é que elas podem afetar as funções hepáticas, o que pode se manifestar por meio do amarelamento da pele (icterícia).

"Além disso, o fármaco também pode levar a alterações em exames que investigam transaminases hepáticas, enzimas dos tecidos musculares (creatinofosfoquinase), hemoglobina glicada (HbA1c), bem como proteínas na urina", acrescenta o especialista.

Posso beber álcool enquanto uso a rosuvastatina?

O consumo exagerado de álcool é desaconselhado. A razão para isso é que você poderia aumentar a chance de ter efeitos colaterais indesejáveis relacionados aos músculos e/ou fígado. Apesar disso, siga as orientações de seu médico sobre o consumo eventual de bebidas alcoólicas.

Em casa, coloque em prática as seguintes dicas:

  • Observe a validade do medicamento indicado no cartucho. Lembre-se: após a abertura, alguns fármacos têm tempo de validade menor, o que também é influenciado pela forma como você o armazena;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta;
  • Em caso de cápsulas, não as abra para colocar o conteúdo em água, alimentos ou mesmo para descartar. Sempre use a cápsula íntegra;
  • No caso de suspensões orais, agite bem o frasco antes de usar. E sempre limpe o copo dosador antes e após o uso. E armazene junto ao frasco do medicamento, para evitar misturar com outros medicamentos;
  • Prefira comprar remédios nas doses justas para o uso indicado para evitar sobras;
  • Respeite o limite da dosagem diária indicada na bula;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos. A ideia é dificultar o acesso às crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - Fiocruz) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP) e assessora técnica do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo); Brivaldo Markman Filho, professor titular de cardiologia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) e especialista em cardiologia pela SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia); Flavio da Silva Emery, professor associado da FCFRP-USP (Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo), atual coordenador do programa de pós-graduação da mesma instituição, membro da comissão de divulgação científica da FCFRP-USP e do sub-comitê de Drug Discovery and Development da IUPAC (sigla em inglês para União Internacional de Química Pura e Aplicada); Marcelo Polacow, farmacêutico, mestre e doutor em farmacologia pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e presidente do CRF-SP. Revisão técnica: Amouni Mourad, Brivaldo Markman Filho.

Referências: Anvisa (Agência Nacional de Vigiliância Sanitária); FDA (Food and Drug Administration); de Pádua Borges R, Degobi NAH, Bertoluci MC. Choosing statins: a review to guide clinical practice. Arch Endocrinol Metab. 2021 Nov 1;64(6):639-653. doi: 10.20945/2359-3997000000306. Epub 2020 Nov 9. PMID: 33166435; Bajaj T, Giwa AO. Rosuvastatin. [Atualizado em 2021 Jun 4]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2022 Jan-. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK539883/.

Qual é o Remédio