PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Brasil recebe primeiro lote com 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (ao centro), acompanhou a chegada de 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen no aeroporto internacional de Guarulhos (SP) - Divulgação/Ministério da Saúde
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (ao centro), acompanhou a chegada de 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen no aeroporto internacional de Guarulhos (SP) Imagem: Divulgação/Ministério da Saúde

Nathan Lopes

Do VivaBem, em São Paulo

22/06/2021 08h58Atualizada em 22/06/2021 12h41

O Brasil recebeu hoje 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen. O avião que trouxe o lote aterrissou no aeroporto internacional de Guarulhos (SP) pouco antes das 9h desta terça-feira (22).

O imunizante da Janssen será o primeiro a ser utilizado no Brasil que precisa de apenas uma dose. As outras três vacinas já em utilização no país precisam de duas doses, com seus respectivos intervalos para completar o esquema vacinal.

Em pronunciamento no aeroporto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que são "mais 1,5 milhão de doses de esperança para o povo brasileiro". "Essa vacina tem uma vantagem de ser dose única. E, com isso, conseguimos avançar no nosso programa de imunização."

A chegada das doses da Janssen acontece no momento em que cidades têm registrado falta de imunizantes. Maior cidade do país, São Paulo interrompeu hoje a vacinação contra a covid-19.

Consultado, o ministério disse que a distribuição das doses acontecerá após uma reunião entre União, estados e municípios, que "deve ocorrer nos próximos dias, para definir o envio das vacinas da Janssen que chegaram nesta terça, além do quantitativo para cada estado e Distrito Federal".

O ministério também pontua que, "quando as doses são liberadas para distribuição, os planos de voos são definidos e os lotes chegam aos estados em até 48 horas".

Metade do previsto

O lote é metade do que estava previsto para chegar na semana passada. O Ministério da Saúde chegou a anunciar que 3 milhões de doses seriam enviadas ao Brasil na semana passada.

Ontem, em audiência no Senado, o ministro não explicou por que a previsão inicial não se concretizou. "Inicialmente, negociamos com a Janssen, e eles iriam nos antecipar, na semana passada, 3 milhões de doses. Lamentavelmente, não foi possível a chegada desses 3 milhões de doses."

A quantidade recebida hoje é uma antecipação do contrato do ministério com a Janssen, que envolve a compra de 38 milhões de doses. Inicialmente, a entrega de todas estava prevista para o último trimestre, a partir de outubro.

No pronunciamento, o ministro indicou que a antecipação e a chegada de mais um imunizante mostram um "acerto da política do Ministério da Saúde". Assim como ontem, Queiroga reafirmou que, com "certeza", todos os adultos receberão até setembro ao menos uma dose. "É a esperança de pôr fim ao caráter pandêmico dessa doença."

Validade estendida

O ministério pontua que o imunizante teve sua validade estendida, passando de três para quatro meses e meio. Com isso, as doses recebidas hoje poderão ser utilizadas até 8 de agosto. A validade original era até 27 de junho.

Em informe encaminhado aos gestores estaduais do programa de imunização em 9 de junho, o ministério pontuou que, após aberto, cada frasco —com cinco doses cada— deve ser utilizado em até seis horas.

Queiroga estava acompanhado do presidente da Janssen no Brasil, Roy Benchimol. Ele prestou sentimentos à "população brasileira impactada pela covid-19" e a quem está na linha de frente contra o novo coronavírus. "É um imunizante que vai ajudar a combater a pandemia no país", disse Benchimol.

Até ontem, o Brasil já havia imunizado 11,5% da população do país.

Saúde