PUBLICIDADE

Topo

Baby blues ou depressão pós-parto? Saiba como diferenciar os quadros

globalmoments/iStock
Imagem: globalmoments/iStock

Giulia Granchi

Do VivaBem, em São Paulo

24/03/2021 04h00

Apesar de serem muito confundidos, a depressão pós-parto e o baby blues são problemas diferentes. O segundo, por exemplo, chamado de tristeza puerperal, é um quadro emocional transitório que afeta de 80 a 90% das mulheres imediatamente após o parto, conforme apontam estudos.

As explicações para esses sentimentos após o nascimento do bebê são diversas. "Todas as grávidas formam um filho imaginário. Quando a criança nasce, muitas têm dificuldade em transferir o amor para o filho real. Além disso, há o impacto da mudança de papéis —quem era filha, esposa ou empresária, por exemplo, agora precisa assumir o papel de mãe. Tudo isso acarreta no emocional", indica Marco Antônio Borges Lopes, ginecologista, obstetra e médico sênior em medicina fetal do Fleury Medicina e Saúde.

Os hormônios também influenciam em como a mãe se sente. Durante a gestação, a grávida produz muito estradiol. Após o parto, a queda da substância no organismo facilita sentimentos como tristeza e ansiedade.

"Além da transição, há o problema do sono. A criança demanda muito e é normal que a mãe fique mais irritada pelo cansaço", diz Lopes.

Principais sintomas

  • Irritabilidade
  • Indisposição
  • Tristeza
  • Baixa autoestima
  • Mudanças bruscas de humor
  • Sensação de incapacidade de cuidar do bebê e outros

Tratamento

A cura do baby blues, de acordo com o psiquiatra Sivan Mauer, professor da Faculdade de Medicina de Jundiaí, é espontânea. "Não há a necessidade de medicação. O quadro some após algumas semanas de adaptação. Compartilhar os sentimentos e ter a ajuda de pessoas que apoiem essa mãe ajuda no processo", explica.

Quadro de depressão é mais sério e necessita tratamento

Já a depressão pós-parto é caracterizada por sintomas mais fortes, persistentes e que necessitam acompanhamento próximo.

"Além do estradiol, histórico familiar ou próprio de depressão ou outros quadros psiquiátricos, como a bipolaridade, são facilitadores. Fatores relacionados à vida pessoal, como falta de parceiro(a) para dividir as tarefas e problemas financeiros, também influenciam", diz o obstetra.

Principais sintomas

  • Dificuldade de desenvolver sentimentos amorosos com o bebê
  • Mudanças de humor severas
  • Episódios de pânico
  • Fadiga intensa
  • Afastamento de amigos e familiares
  • Alterações no apetite
  • Falta de higiene da mãe e do bebê
  • Irritabilidade
  • Sentimentos de culpa, inadequação, inutilidade e vergonha
  • Pensamentos de suicídio ou morte
  • Falta de concentração
  • Ansiedade grave
  • Pensamentos relacionados a prejudicar a si mesma ou ao bebê

"Quando o quadro é muito severo e mistura sintomas de psicose, a mulher pode machucar a si mesma ou bebê. A família deve estar atenta aos sinais para intervir se necessário", diz o especialista.

Tratamento

Tratar a depressão pós-parto requer sessões de psicoterapia e medicação —esta última deve ser avaliada de acordo com cada quadro, podendo incluir antidepressivos ou antipsicóticos.

"Algo que toda mulher deve fazer é compartilhar seu histórico psiquiátrico, caso exista, no acompanhamento pré-parto. Isso pode ajudar na intervenção precoce, que previne que os quadros cheguem a estágios muito graves", esclarece Mauer.

Supere a depressão pré e pós-parto

Campanha depressão pós-parto - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Essa reportagem faz parte da campanha de VivaBem Supere a Depressão Pré e Pós-parto, que tem como objetivo chamar a atenção para o transtorno e os impactos que ele pode trazer para a mãe e o bebê. Ao longo da semana, uma série de reportagens e conteúdos especiais serão publicados com o objetivo de ajudar a identificar e tratar o problema. Confira todo o conteúdo da campanha aqui.

Fique ligado: a campanha é a primeira de uma série de VivaBem que, ao longo do ano, trará conteúdos temáticos para auxiliar no combate a problemas que muitas pessoas enfrentam no dia a dia e contribuir para que você tenha mais saúde e bem-estar.