PUBLICIDADE

Topo

Ageless Talks

Um encontro virtual da geração que desafia a idade


Sexo pós-45: qualidade da transa melhora na maturidade

Lia Rizzo

Colaboração para o VivaBem

09/12/2020 04h00

Existe vida na cama após a maturidade. Mesmo com tantos mitos em torno do assunto, relacionados sobretudo a questões biológicas que vêm com a idade, homens e mulheres parecem encontrar muito mais qualidade nas relações sexuais com o passar do tempo. A conversa sobre como sexualidade e libido podem compor uma rotina plena, ativa e muito saudável foi o tema do terceiro painel do Ageless Talks, conduzido pela jornalista Conceição Lourenço.

"É importante entender que sexualidade é muito mais que marcos biológicos", disse o psiquiatra Jairo Bouer, especialista em sexualidade. Ele lembrou que as mudanças neste sentido —que pesam sobretudo para mulheres cujo organismo dá sinais mais claros como menopausa e climatério — fatalmente provocam alterações hormonais significativas que podem afetar a vida sexual. "Porém, os homens e as mulheres de 50 anos estão descobrindo caminhos e possibilidades que permitem seguir sexualmente ativos".

O tempo de relacionamento também não parece ser impeditivo para exercitar a libido. Casada há mais de três décadas, a atriz Totia Meireles, 55, considera que joga a favor dos casais maduros, com a vantagem da intimidade conquistada ao longo do casamento. "Claro que a libido caiu e sempre temos que nos reinventar, mas com um parceiro de muitos anos me parece mais fácil, pois a gente já se conhece, sabe como é o nosso sexo", apontou.

Autoconfiança é afrodisíaco

Em outro extremo, a jornalista Patrícia Parenza, 50, contou como foi iniciar um namoro há cerca de um ano. "Como no início de toda paixão, vivi aquela explosão hormonal e só de nos olharmos, sentíamos tesão", contou. O que mudou ao comparar com relações da juventude, segundo ela, foi a constância do desejo. "O que percebo hoje é que aquela vontade espontânea diminui em minha idade. Então é preciso induzir, falar sobre sexo, pensar sobre sexo, para fazer um bom sexo", considera.

A maior qualidade percebida unanimemente nas relações é também um reflexo da confiança conquistada com a maturidade, pelo menos na perspectiva feminina. "São vários os estudos que comprovam que mulheres na faixa de 45, 50 anos, já estão com suas ansiedades mais resolvidas", disse Jairo Bouer. Algo que Patrícia sentiu literalmente na pele: "Depois dos 45 anos, me libertei sexualmente, busquei entender meu corpo e passei a falar mais abertamente sobre isso. E também deixei de ter pudores com minhas formas", afirmou a jornalista.

Jairo atenta que homens ainda sentem mais dificuldade de abordar o tema quando encontram problemas, sobretudo de ordem fisiológica. Por isso é importante reforçar que a chegada da idade não significa o fim da vida sexual. Olhar para hábitos triviais, como alimentação e qualidade do sono, por exemplo, ou quadros de saúde mental afetada também podem impactar na sexualidade. "E corrigir esses sintomas já pode ajudar tremendamente. Há ainda tecnologias de reposição hormonal que hoje estão avançadas, que podem ser um recurso", explicou o médico.

Ageless Talks

Realizado pelo VivaBem, o Ageless Talks foi um encontro da geração que passou dos 45 anos para falar de corpo, mente, vitalidade, sexualidade. Confira os destaques da programação do evento:

Abertura com a atriz Claudia Raia: "Hoje sou dona do meu desejo e da minha libido"

Painel 1: Idade cronológica x idade biológica: como o estilo de vida define o nosso corpo
Participantes: Dra. Vânia Assaly, endocrinologista e nutróloga; Zé Roberto, ex-atleta profissional e palestrante; Paulo Zulu, empresário e modelo
Mediação: Silvia Ruiz, autora da coluna Ageless no VivaBem

Painel 2: O fim do age-shaming: crescente onda de mulheres está abraçando a idade e a beleza da maturidade
Participantes: Marina Person, cineasta e apresentadora; Mariana Muniz, médica dermatologista; Olivia Araujo, atriz
Mediação: Camila Faus, diretora de cena, uma das criadoras do SHEt_alks, carinhosamente apelidado de SHEt

Painel 3: Sexualidade e libido - como manter uma vida amorosa ativa e plena pós-45
Participantes: Jairo Bouer, psiquiatra; Totia Meireles, atriz; Patrícia Parenza, jornalista e empreendedora
Mediação: Conceição Lourenço, jornalista

Painel 4: Viver no seu Tempo - envelhecer se mantendo atual é segredo de longevidade
Participantes: Zeca Camargo, jornalista; Mariliz Pereira Jorge, colunista da Folha de S.Paulo; Luiza Brunet, empresária e ativista pelos direitos da mulher; Edvana Carvalho, atriz e arte-educadora
Mediação: Tati Schibuola, gerente Geral de Marcas Editoriais do UOL

Painel 5: Menopausa ainda é tabu, mas é possível viver essa fase com plenitude
Participantes: Solange Frazão, apresentadora e influenciadora fitness; Janeth Arcain, atleta de basquetebol; Flávia Fairbanks, ginecologista especialista em menopausa
Mediação: Lúcia Helena, colunista do VivaBem

Encerramento com a antropóloga Mirian Goldenberg: "Envelhecimento no Brasil é visto como morte simbólica"