PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Comissão Europeia aprova vacina contra Ebola

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

02/07/2020 14h12

A Comissão Europeia aprovou nesta quinta-feira (02) uma vacina contra o Ebola. Em comunicado oficial divulgado hoje, os cientistas explicaram que ela possui dois componentes chamados Zabdeno e Mvabea, que estavam sendo estudados pelo órgão e possuem bons resultados. O medicamento foi desenvolvido pela farmacêutica Janssen.

"Esta é a segunda vacina contra o Ebola que a Comissão autoriza em menos de um ano e confirma mais uma vez que a UE permanece na vanguarda do esforço global para salvar vidas desta. vírus. Sabemos muito bem da crise dos coronavírus que os vírus não respeitam fronteiras - proteger a saúde de outras pessoas protege a saúde de todos", disse Stella Kyriadkides, uma das autoras do estudo.

No teste clínico, os cientistas analisaram a capacidade do sistema imunológico de responder ao vírus após a vacinação com Zabdeno e Mvabea em 3367 voluntários, que envolviam adultos e crianças que participaram de cinco estudos clínicos na Europa, África e Estados Unidos.
Além dos testes em pacientes, os pesquisadores avaliaram a segurança e tolerabilidade por meio de amostras clínicas nos mesmos continentes.

Após todos os testes, a autorização para o medicamento ficar pronto envolve duas etapas, na qual a Agência Europeia de Medicamentos e Comissão Europeia avaliam os benefícios e riscos da vacina e fazem recomendações. Geralmente o prazo total leva em torno de 67 dias a partir do parecer dos órgãos envolvidos.

É nesta fase que ocorre a tradução de escolha de nomes do produto, tradução em todas as línguas da União Europeia e uma consulta com os estados membros. Para surpresa dos pesquisadores, o órgão conseguiu reduzir esse tempo para um mês apenas, diminuindo o tempo pela metade.

Como funciona a vacina

Esse regime de vacina utiliza a tecnologia AdVac®, que também está sendo usada para desenvolver a vacina para prevenção da covid-19.

O regime preventivo da vacina contra o Ebola utiliza uma estratégia de vetor viral não replicante, na qual os vírus ( serotipo de adenovírus 26) e o Vaccinia modificado Ancara (MVA) são geneticamente modificados para não se replicarem em células humanas. Além disso, esses vetores carregam o código genético de várias proteínas do vírus Ebola para desencadear uma resposta imune.

O relatório de avaliação das vacinas será publicado no site da Agência Europeia de Medicamentos. "O investimento do programa de pesquisa da UE Horizonte 2020 em vários projetos de Iniciativa sobre Medicamentos Inovadores do Ebola agora está dando frutos. Isso demonstra, mais uma vez, o poder da colaboração e da liderança europeia em pesquisa e desenvolvimento para enfrentar as ameaças globais à saúde", finalizou Mariya Gabriel, uma das autoras da pesquisa.

Saúde