PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Exposição prolongada da cabeça ao sol prejudica a produtividade no trabalho

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

20/06/2020 17h15

Trabalhar exposto ao sol e ao clima é algo comum no mundo: estima-se que metade da população do mundo vive em regiões em que pode estar submetida ao "estresse ao calor". No entanto, um estudo publicado na revista Scientific Reports, conduzido por cientistas da Universidade de Copenhague mostrou que os efeitos da exposição prologada ao sol e seu calor vinham sendo subestimados pelas pesquisas feitas até agora.

De acordo com os cientistas, os trabalhos anteriores foram todos feitos em laboratório, sem levar em conta o efeito que a radiação solar pode ter quando a cabeça é exposta a eles por um período prolongado. E os pesquisadores notaram nesta nova pesquisa, é que esses efeitos prejudicam tanto a performance da mente quanto a do corpo no trabalho.

Como o estudo foi feito?

  • Cientistas analisaram 8 homens considerados saudáveis e fisicamente ativos, com idades entre 27 e 41 anos, que foram orientados a se hidratar corretamente ao longo do experimento e a não praticar exercícios extenuantes ou álcool por 24 horas antes;
  • Foram feitos 3 exames motores-cognitivos, que consistiam em quatro tarefas lógicas e matemáticas de computador que dependiam da precisão fina do motor;
  • Durante esses exames, quatro lâmpadas foram posicionadas para irradiar na parte inferior do corpo ou na cabeça.

Resultados

O estudo mostrou que a exposição prolongada ao calor radiante da cabeça prejudicou o desempenho cognitivo motor, com prejuízos pequenos, porém significativos, no desempenho da tarefa motora simples e grandes reduções de desempenho no motor complexo e na tarefa cognitiva motora complexa. Além disso, essas deficiências não foram provocadas quando a iluminação ocorreu na parte inferior do corpo, mesmo quando a elevação da temperatura foi semelhante.

Para o professor Andreas Flouris, que também participou do estudo: "As deficiências de saúde e desempenho provocadas pelo estresse térmico são desafios da sociedade que se intensificam com o aquecimento global e esse é um problema prolongado que devemos tentar mitigar". Mas mais estudos precisam ser feitos, analisando ainda mais pessoas, para entender como a exposição ao sol realmente afeta os trabalhadores.

Saúde