PUBLICIDADE

Topo

Fernando Guerreiro

Ficou sem fôlego ao voltar a correr? Veja dicas para retomar os treinos

iStock
Imagem: iStock
Fernando Guerreiro

Fernando Guerreiro é formado em educação física e especializado em treinamento funcional. Atleta amador, já completou ultramaratonas e triatlos, e é também head coach da We Move Brasil, equipe de treino especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Colunista do UOL

05/12/2020 04h00

Muitos praticantes de corrida ficaram meses sem praticar a atividade por causa da pandemia e estão retomando os treinos agora. Porém, alguns estão "sofrendo" nesse volta, já que após um longo tempo parado é natural encontrar dificuldades ao tentar realizar qualquer exercício com a mesma performance e frequência de antes.

Essa dificuldade ocorre por alguns motivos que você deve ter percebido:

  • Perda do condicionamento cardiovascular: para quem ficou em casa e não conseguiu fazer exercícios aeróbicos, é normal ocorrer uma redução da capacidade cardiorrespiratória e da resistência. Ou seja, ao voltar, vai "faltar fôlego" para conseguir correr na mesma velocidade e/ou distância de antes.
  • Aumento de peso: quanto mais quilos, maior é o esforço para mover o corpo e o gasto de energia --logo, o cansaço tende a bater mais rapidamente.
  • Fraqueza muscular: sem estímulos (exercício), há uma diminuição da resistência e da força para correr --o que também torna as articulações mais vulneráveis ao impacto;

Como voltar aos treinos sem sofrimento

Se você deseja retornar a correr, a primeira coisa é planejar os dias em que irá treinar, se possível, sempre com ao menos um dia de descanso entre um treino e outro, para permitir que seu corpo se recupere adequadamente do esforço —um treinador de corrida é a melhor pessoa para orientar como montar essa programação.

Defina antes também quantos quilômetro terá o treino ou por quantos minutos você irá correr, para evitar que, na empolgação, você se exercite por um volume muito maior do que seu corpo suporta nesse momento. E é importante lembrar que essa distância ou tempo de corrida deve ser bem menor do que você estava acostumado a fazer antes da pandemia. Aliás, se necessário, procure alternar corrida com caminhada nos treinos.

Se possível, procure também intercalar os dias de treino de corrida com dias de exercícios de fortalecimento (musculação, funcional), alongamento e mobilidade, para uma melhor recuperação do corpo e para ter uma base consistente.

Ter paciência e respeitar os limites do corpo é muito importante nesse momento. Seu foco deve ser a regularidade no treino, não tentar voltar logo a ter a performance de antes. Se você está preocupado de nunca mais conseguir correr como antes, fique tranquilo. A constância dos treinos trará um bom condicionamento cardiovascular novamente.

Nas primeiras semanas será mais difícil para a mente entender que precisa ir mais devagar do que você estava acostumado, talvez isso possa gerar frustração. Não caia nessa, seu corpo tem memória. Tenha certeza que em algumas semanas você estará bem condicionado.

Se conecte mais com seu corpo, preste muita atenção aos sinais para não sobrecarregá-lo. Nesse retorno, mesmo que seja difícil, a corrida deve ser prazerosa. A qualquer sinal de dor ou desconforto anormal, caminhe ou pare e descanse. Tome cuidado para não exagerar e sofrer uma lesão.

Retornando ou começando do zero o importante é saber que corrida faz muito bem para a vida como um todo, melhorando a saúde física e mental. A atividade deixa o coração mais forte e resistente, diminui o risco de muitas doenças, emagrece, libera hormônios que melhoram o humor e o bem-estar.

Correr é ter constantemente o desafio de não desistir com a felicidade de cada conquista.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL