PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Visagismo: como funciona a técnica de análise facial na dermatologia

Visagismo possibilita alinhar as mensagens faciais às necessidades individuais - Svitlana Hulko/ iStock
Visagismo possibilita alinhar as mensagens faciais às necessidades individuais Imagem: Svitlana Hulko/ iStock

Karina Hollo

Colaboração para Universa

26/11/2021 04h00

O visagismo, técnica normalmente usada na moda ou no salão de beleza, chegou às clínicas dermatológicas. Seu uso teria como objetivo individualizar ainda mais os tratamentos faciais. "O rosto é uma das principais partes do corpo pela qual se tem contato com o outro. Pela qual é possível se expressar e transmitir mensagens só por meio da comunicação visual, sem necessariamente precisar da linguagem verbal", diz a dermatologista Luciana Garbelini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). "Toda imagem, seja uma paisagem, quadros, objetos ou roupas, passa uma ideia. Com o rosto não é diferente —esta parte do corpo consegue transmitir diversas informações."

A neurociência estuda a reação cerebral humana ao enxergar linhas e formas há anos. O julgamento instintivo acontece no sistema límbico, área do cérebro responsável pela emoção, antes da interpretação racional. "Isso acontece em um décimo de segundo, e o rosto chega a transmitir até 80% da comunicação não verbal", afirma a profissional.

A ideia, então, é alinhar as mensagens faciais às necessidades individuais: transmitir mais credibilidade, autoridade, delicadeza, jovialidade. "Não é apenas sobre tratar rugas ou flacidez, é o impacto na comunicação visual. É construção e personalização de imagem."

A face como um mapa

Nosso rosto é como uma autobiografia. "A proporção, a forma, os traços e até as linhas de expressão, que incomodam tanto, apontam características importantes para o autoconhecimento", diz a visagista e maquiadora Karina Saib, que utiliza a técnica clássica chinesa da "leitura da fisionomia" para valorizar pontos fortes com a maquiagem.

O lado direito do rosto, por exemplo, apresenta a intimidade, e o esquerdo, a socialização. A parte superior, que vai do couro cabeludo às sobrancelhas, simboliza o intelecto; já a mediana, das sobrancelhas ao nariz, corresponde ao lado emocional; e o inferior, do nariz ao queixo, representa as necessidades, a comunicação e a intuição.

Essas divisões são as que ligam o cérebro ao rosto: se eu penso, sinto e faço, tudo ficará marcado na face. Tudo que for mudado no nosso rosto será refletido nos sentimentos, no comportamento e nas ações. "Temos mensagens gravadas do nosso passado, presente e como projetaremos o futuro. É surpreendente o que podemos descobrir", afirma Karina.

Sobrancelhas caídas passam cansaço

As técnicas de comunicação visual levam em consideração as linhas e formas dos elementos que compõem o rosto —sobrancelhas, nariz, mandíbula, formato da face, lábios— para traduzir mensagens na comunicação não verbal. "Por exemplo, sobrancelhas com as laterais caídas dão ar de tristeza e cansaço. Queixos largos e projetados, de imponência e autoridade. Nariz arredondado e pequeno transmite delicadeza e acessibilidade. Mandíbulas angulosas e marcadas, força e determinação."

Mudanças estéticas podem alterar o comportamento

A primeira etapa é avaliar todos os traços e traduzir em mensagens. De acordo com a técnica, cada mudança estética feita em uma pessoa altera diretamente seu comportamento. "Por isso, a análise completa dá a segurança para mudar sem 'agredir' a essência da pessoa. Cada um tem seu único e exclusivo formato de rosto, olhos, boca, nariz, queixo, cabelo, cabeça? Tudo o que está no rosto tem um grande significado, o ideal é que nada mude sem ser analisado", diz Karina.

Com base em toda essa análise, segundo as especialistas, é possível ajudar pessoas mais frágeis a serem mais fortes, pessoas muito impositivas a passarem uma imagem mais receptiva, e pessoas mais inseguras a terem uma mudança significativa na sua própria segurança e autoestima.

Mulher - zoranm/ iStock - zoranm/ iStock
Técnica normalmente usada na moda ou no salão de beleza chegou às clínicas dermatológicas
Imagem: zoranm/ iStock

"De acordo com relatos reais, há mulheres que mudaram o nariz de um formato mais proeminente e largo para um bem pequeno e fino e entraram em depressão por não se reconhecerem. As pessoas precisam se preparar para qualquer mudança, seja cirúrgica, seja na maquiagem, nas sobrancelhas ou no cabelo, para que estejam de acordo com sua essência, caso contrário poderão ter resultados muito infelizes", ressalta Karina.

Todos os elementos que forem condizentes com a personalidade e com a intenção de mensagem serão mantidos, enquanto os elementos que transmitirem ruídos de imagem receberão propostas de intervenção. "Por exemplo, olheiras profundas, perda do contorno da face ou sinais de 'deslizamento' da face passam a conotação de desânimo, tristeza e cansaço, que são características que geralmente não queremos transmitir e que podem ser suavizadas", fala a médica.

Sobrancelhas retas e até com rugas entre elas são sinais de seriedade. Se a intenção é valorizar a autoridade, nada de suavizar essas linhas, nem de arquear as sobrancelhas. "Vamos focar na melhora da textura da pele e manter o movimento da dinâmica de expressão", diz Luciana Garbelini.

Fato é que a análise pode ler o passado, o presente e o futuro de qualquer pessoa. "Você pode ser cada vez melhor se souber quem é de verdade e o que comunica. Assim, ser quem realmente é se torna libertador", finaliza Karina.

Beleza