PUBLICIDADE

Topo

Manuela d'Ávila: "Daria uma camiseta 'Rebele-se' para a Michelle Bolsonaro"

De Universa

17/06/2021 04h00

Passar a infância e a adolescência odiando o próprio corpo deixou "marcas profundas" em Manuela d´Ávila (PCdoB-RS), ex-deputada federal e candidata à vice-presidência nas eleições de 2018, a ponto de enfrentar, até hoje, problemas de transtorno de imagem. Foi só após o nascimento da filha, Laura, em 2015, que ela decidiu mudar a relação com o próprio corpo para poder ensinar a menina a ter a autoestima forte.

"Passou a ser menos sobre mim e mais sobre a ideia de ter uma nova mulher aprendendo desde muito cedo a odiar, ou a não odiar, a si mesma", diz Manuela à apresentadora Fabi Gomes, no primeiro episódio da segunda temporada do "E Aí, Beleza?", o programa de entrevistas de Universa que foi ao ar na quarta-feira, (16). "Minha meta é ter a autoestima de um homem branco", afirma a política, aos risos.

Obesa até os 17 anos, quando emagreceu 40 kg, Manuela conta ter sofrido com pressões estéticas e gordofobia.

Eu tenho um problema permanente com a minha imagem. Tenho transtorno de imagem, eternamente me vejo com um corpo diferente do meu. Eu me fotografo para ver como estou de verdade

Manuela diz que durante a infância e a adolescência o tema da beleza foi colocado em segundo plano. "Era uma autoproteção, desenvolvi outras qualidades", relembra. "Às vezes vejo fotos minhas e penso que estava bem, mas me machuca lembrar que, naquele momento, estava me odiando"

Leia na minha camisa

Durante a participação no "E aí, Beleza?", Fabi lembrou as aparições públicas em que Manuela costuma usar camisetas com frases emblemáticas. E propôs uma brincadeira: para quem ela daria algumas das peças?

Uma das camisetas mais famosas de sua coleção, aquela em que se lê a palavra de ordem "Rebele-se", usada bastante durante a campanha presidencial, Manuela diz que ofereceria à primeira-dama, Michelle Bolsonaro. "Para ela se rebelar, se libertar", diz.

Na resposta seguinte, sobre a camiseta que traz escrita a frase "Nossas ideias são à prova de bala", ela deixa seu recado. "Daria para todos nós que somos ameaçados por essa gentalha."

"Política é ambiente de ódio contra mulheres"

Jornalista e escritora, Manuela também fala na entrevista sobre sua experiência no cenário político, que começou em 2005 como vereadora e que também deixou traumas. "Cada vez mais a política é um ambiente em que o ódio às mulheres é naturalizado", diz.

A misoginia é o ativo central de construção dessas forças políticas que emergiram a partir de 2015, não existem sem esse componente, sem essa violência

Fabi Gomes recebe convidadas no E aí, Beleza?, sempre para um conversa sobre beleza e todo assunto que interessa às mulheres  - Reprodução - Reprodução
A maquiadora Fabi Gomes recebe convidadas no E aí, Beleza?, sempre para uma conversa sobre beleza e todo assunto que interessa às mulheres
Imagem: Reprodução

Mas tem também a parte boa. Para Manuela, o melhor da política é "a sensação de que a gente pode mudar a vida das pessoas". E ainda que tenha sido, e seja até hoje, alvo de ataques, acredita que houve muito crescimento em sua trajetória.

"Individualmente, o que mais mudou é que cada vez mais dou menos valor para o mal que as pessoas me desejam, para os comentários e opiniões que querem apenas me desestabilizar, é um abismo em relação à Manuela de 23 anos", avalia a política, que completa 40 anos em agosto.

Os episódios do E aí, Beleza? vão ao ar sempre às quarta, às 20h, no Canal UOL. A maquiadora e colunista de Universa Fabi Gomes recebe mulheres de opinião e com trajetórias inspiradoras de diversas áreas, para falar sobre os desafios femininos no mercado de trabalho, maternidade, política feita por e para mulheres e ainda dá dicas de maquiagem.

No próximo programa, Fabi entrevistará a jornalista Rachel Sheherazade.