PUBLICIDADE

Topo

Sexo

"Se me vejo no espelho, fico excitada": o que significa ser autossexual

Jessica Sirias tem 28 anos e se reconhece como autossexual  - Arquivo pessoal
Jessica Sirias tem 28 anos e se reconhece como autossexual Imagem: Arquivo pessoal

Júlia Flores

De Universa

07/06/2021 04h00

Condição em que a pessoa sente desejo —acima de qualquer coisa— por si mesma, a autossexualidade é uma relação de amor-próprio que pode ir além da esfera erótica, chegando a envolver o sentimental, ao ponto de a pessoa ser também "autorromântica". "Me sinto atraída sexualmente pelo meu próprio corpo. Não tem nada melhor do que me masturbar na frente do espelho", afirma Jessica Sirias, de 28 anos, que há cerca de quatro se declara autossexual.

Apesar de parecer novidade, o termo foi citado pela primeira vez na literatura médica em 1989, pelo terapeuta sexual Bernard Apfelbaum, que definiu a autossexualidade como a dificuldade de sentir atração sexual por outras pessoas. A sexóloga Lelah Monteiro explica: "Dentro das orientações sexuais tem o heterossexual, o homossexual, o assexual, o pansexual e também o autossexual, cada um com seus desejos e vontades".

A profissional esclarece que o autossexual pode ser uma pessoa romântica e fisicamente envolvida apenas consigo mesma, ou pode ter um relacionamento com outro parceiro — inclusive sexual — sem deixar de ter o próprio corpo como principal fonte de desejo e prazer. "A pessoa pode ser autossexual e ser heterossexual, ou homossexual, ou bissexual, tanto faz. Só não pode ser autossexual e assexual, porque uma pessoa assexual não tem desejo", comenta Lelah.

"O autossexual pode, sim, ter um relacionamento com outra pessoa, mas a grande satisfação é dele com ele mesmo. Não tem a ver com masturbação, é apenas uma pessoa com desejo pelo próprio corpo, orgulho da sua história e prazer consigo mesmo", descreve.

A seguir, duas mulheres autossexuais compartilham suas experiências com Universa:

"Me masturbo pensando em mim mesma"

"Me ver em um espelho é muito excitante", diz Jessica - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
"Me ver em um espelho é muito excitante", diz Jessica
Imagem: Arquivo pessoal

"Me descobri autossexual cerca de quatro anos atrás. Sempre gostei muito do meu próprio corpo... Adoro minhas pernas, meus seios, meus quadris. Tudo sobre mim eu acho sexy. Se me vejo no espelho, é difícil não me masturbar, afinal de contas eu sou deliciosa.

Ser autossexual, ao meu ver, segue a mesma linha de ser uma pessoa independente. Claro que há pessoas autossexuais que passaram por traumas ou situações ruins e por isso optaram por esse caminho, mas não é o meu caso. Para mim, é mais porque eu vivo minha vida sozinha —inclusive no aspecto erótico.

A primeira vez que me masturbei foi há 8 anos, quando eu estava iniciando a minha vida sexual. Nessa época eu namorava um homem, mas a relação não deu certo e, desde que terminei, preferi ser solteira.

Com o tempo me dei conta de que transar só por transar não era para mim. Comecei a pesquisar outras opções, e descobri que dá para ser uma pessoa realizada sexualmente por si só

Eu nunca contei para a minha família sobre a minha orientação sexual, comentei só com alguns amigos (e duvido que eles tenham entendido o que significa). Eu não recebo criticas quando falo que sou autossexual, normalmente fazem perguntas a respeito e acham que é só o ato de se masturbar pensando em si próprio, porém não é tão simples assim: tem a ver com se amar e ser uma pessoa independente —tanto sexual quanto sentimentalmente.

Eu costumo transar com outras pessoas, uma vez ao ano, na média. Atualmente estou há dois anos sem transar com ninguém. Na verdade eu acho que, quanto mais o tempo passa, mais difícil fica de encontrar alguém que te dá o mesmo prazer que você pode dar a si mesmo. Está nas minhas mãos me dar prazer.

Normalmente eu me masturbo à noite, algumas vezes eu assisto pornô. Imagino eu mesma transando. Me ver em um espelho é muito excitante pra mim. Começo a tocar os meus seios.

Algumas vezes uso brinquedos eróticos, vibradores são ótimos estimulantes para mim, mas só chego ao orgasmo quando penso no meu corpo. Parece maluquice, mas eu também me sinto atraída romanticamente por mim mesma. Eu me amo

Prefiro ser solteira, amo a minha companhia e adoro ficar sozinha. Não acho que ser autossexual é ser egoísta, apesar de soar um pouco narcisista.

Gostaria de falar para as outras mulheres explorarem o próprio corpo, e amarem a si mesmas. Você não precisa de outra pessoa para ser realizada sexualmente. Você pode encontrar um mundo cheio de prazeres por si só, toda noite. Lembrem-se: ninguém pode conhecer o próprio corpo tão bem quanto você." Jessica Sirias, 28 anos, gerente de hotel na Costa Rica

"Não vejo pornô, assisto a vídeos meus fazendo sexo"

Ghia Vitale é ativista do movimento auto sexual: "Amo meu corpo, me dá tesão" - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Ghia Vitale é ativista do movimento auto sexual: "Amo meu corpo, me dá tesão"
Imagem: Arquivo pessoal

"Autossexualidade é sentir atração sexual por você mesmo. Percebi que me sentia atraído por mim mesma por volta dos 7 anos, mas não aprendi o que significava o termo 'autossexualidade' até estar na faculdade. Foi nessa época que comecei a ter um relacionamento comigo mesma.

Sempre gostei do meu corpo, mas por ser gorda recebo comentários ofensivos desde pequena. Sofro bullying por causa do meu peso e costumava me sentir sozinha no sentimento de 'desejo por mim', porque ninguém mais se sentia atraído pela minha figura

Quando me descobri autossexual, tudo se encaixou. Eu não sou restrita, atualmente além de me namorar, tenho mais dois parceiros, incluindo um com quem estou há mais de 15 anos. A diferença é que me sinto mais atraída por mim do que pelas outras pessoas, apesar de estar envolvida sexual e romanticamente com meus outros dois namorados.

Meu namorado sempre me apoiou minha autossexualidade. Agora tenho uma direção clara de onde vem o meu desejo e como dominá-lo

Eu acho que a sociedade desencoraja as pessoas a se amarem, a se darem prazer, a se conhecerem. Eu recebo muitos comentários e ataques de haters nas redes sociais. Sinceramente? Eu apenas os bloqueio. Eles me chamam de egoísta, me acusam de ser maldosa. Já teve quem falou que eu mereço morrer.

Gosto de falar sobre amor próprio, mas eu sei que não é a mesma coisa que autossexualidade. Qualquer um pode amar a si mesmo, mas algumas conseguem amar a si mesmas de um jeito sexual e romântico —uma coisa que descobri com o tempo é que tem mais pessoas autossexuais por aí do que eu imaginava. Tem grupos no Facebook, em outras redes sociais.

Se você fala para as pessoas que é autossexual, logo te relacionam a alguém narcisista. E não é a mesma coisa: narcisistas sempre acham que são melhores do que outras pessoas e manipulam tudo que está ao redor. Ser autossexual é ser atraído por si mesmo

Sou apaixonada por mim mesma, penso em me casar comigo (ainda não consegui decidir como a festa deveria ser), gosto da minha companhia, de estar sozinha. Quando estou me masturbando, penso muito no meu próprio corpo. Adoro me olhar no espelho enquanto transo, é a melhor sensação da vida. Não vejo pornografia, mas me filmo fazendo sexo, é isso que me excita." Ghia Vitale, 31 anos, é escritora e vive nos Estados Unidos

Autossexual sim, narcisista não

A terapeuta Lelah Monteiro explica que, do ponto de vista psicológico, ser autossexual não é a mesma coisa que ser narcisista. "O narcisista não é aquela pessoa que se olha no espelho e se ama. Pelo contrário, ele precisa de uma plateia, precisa do reconhecimento alheio. Já autossexual não precisa que alguém o olhe, o aprecie. Ele é independente."

Inclusive, a sexóloga defende que manter um relacionamento com um autossexual é bem mais fácil do que com um narcisista: "Talvez você tenha dificuldade de lidar com o fato do seu companheiro se desejar mais do que a qualquer outra pessoa. Em alguns momentos ele vai querer estar com alguém e, logo em seguida, decidir ficar sozinho. Em outros, ele vai estar sozinho e também vai querer estar com alguém. É uma oscilação, mas nada patológico."

Sexo