PUBLICIDADE

Topo

App de transporte lança ferramentas para proteger passageiras de assédio

As mulheres são a maior parte do público que utiliza apps - Uber/Divulgação
As mulheres são a maior parte do público que utiliza apps Imagem: Uber/Divulgação

De Universa

01/05/2021 10h58

Duas ferramentas de inteligência artificial criadas pela 99 vão detectar cenários de risco de assédio para a mulher que chamar uma corrida e, dependendo da situação, prometem enviar somente motoristas mulheres ou mais bem avaliados. Segundo a empresa, serão ainda disparadas mensagens sobre profissionalismo e dicas de como agir em situação de violência de gênero.

Vai funcionar assim: as tecnologias, chamadas pelos nomes gregos Pítia e Atena, vão mapear corridas chamadas por mulheres em situações identificadas como de maior vulnerabilidade, como viagens à noite, mais longas, chamadas por terceiros, ou partindo de regiões com bares e casas noturnas.

Ao mesmo tempo, os algoritmos da plataforma vão verificar os motoristas nas redondezas e a pontuação a cada um, baseados em fatores como gênero, nota e quantidade de reclamações. A ideia é que somente motoristas mulheres e condutores com melhor qualidade de atendimento são escolhidos para envio a elas. Segundo a empresa, 5% do seu quadro de motoristas são mulheres.

A 99 informa que durante quatro meses de testes, feitos no segundo semestre do ano passado, conseguiu reduzir o número de ocorrências sexuais contra passageiras em mais de 45%, e diminuiu ainda os casos em 17% em uma semana. Ela não informa, no entanto, o número total de ocorrências.

Há ainda uma inteligência artificial, chamada de Ártemis, que rastreia denúncias de assédio deixadas nos comentários após as corridas, e que visa banir agressores e direcionar atendimento humanizado às vítimas. Segundo a 99, são identificadas e banidas, em média, 730 pessoas por semana que cometeram algum tipo de assédio, entre motoristas e passageiros.

Uber também lança recurso para proteger passageiras

Em dezembro último, a Uber passou a disponibilizar para todo o Brasil uma nova ferramenta, chamada U-Elas, que permite a suas motoristas mulheres e de identidade não-binária receberem apenas chamadas de passageiras.

A ferramenta U-Elas pode ser ligada a qualquer momento pelas motoristas e está entre as novidades anunciadas pela Uber para o programa Elas na Direção, criado em parceria com a Rede Mulher Empreendedora no fim de 2019. Neste primeiro momento, a ideia é que as motoristas tenham a opção de receber as chamadas das passageiras, mas no futuro as usuárias também poderão escolher motoristas mulheres ou de identidade não-binária.

Segundo dados do setor, as mulheres são a maior parte do público que utiliza apps, mas a minoria quando se tratam de motoristas: algo em torno de 15 a 20%.